Três empresas chinesas serão retiradas da bolsa de NY por ordem de Trump | Exame Invest
Exame Invest
Invest

Três empresas chinesas serão retiradas da bolsa de NY por ordem de Trump

PUBLICADO EM: 1.1.21 | 14H50
ATUALIZAÇÃO: 1.1.21 | 16H14
Donald Trump emitiu uma ordem proibindo investimentos em empresas de capital aberto que o governo diz serem controladas pelas Forças Armadas chinesas

(REUTERS)

Imagem da Editoria Exame Invest
Estadão Conteúdo



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 1MIN

Três empresas chinesas serão retiradas da bolsa de Nova York (Nyse) em janeiro por causa de uma ordem executiva assinada em novembro pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

A bolsa diz que a China Telecom Corp. Limited, China Mobile Limited, e China Unicom Hong Kong Limited serão retiradas. Trump emitiu uma ordem em 12 de novembro proibindo investimentos em empresas de capital aberto que o governo diz serem controladas pelas Forças Armadas chinesas.

O comunicado, divulgado na quinta-feira, diz que a bolsa suspenderá as negociações das empresas já em 7 de janeiro ou até 11 de janeiro. O texto diz que as emissoras de ações podem apelar a um comitê do conselho da bolsa de Nova York.

O governo chinês acusou Washington de usar a segurança nacional como desculpa para atacar a competição e alertou que a ordem de Trump prejudicaria investidores dos Estados Unidos e de todo o mundo.

Analistas políticos esperam pouca mudança na política na administração do presidente eleito Joe Biden, devido à disseminada frustração com os registros de comércio e de direitos humanos da China e a acusações de espionagem e roubo de tecnologia.

Autoridades americanas reclamaram que o Partido Comunista da China se aproveita de acesso à tecnologia e investimentos americanos para expandir suas Forças Armadas, que já estão entre as maiores e mais fortemente armadas do mundo.


Recomendado para você


Leia também

Imagem da Editoria Exame Invest
Estadão Conteúdo


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame