Vendas de carros elétricos dobram na Europa em 2020 | Exame Invest
ESG

Vendas de carros elétricos dobram na Europa em 2020

PUBLICADO EM: 4.2.21 | 8H42
Um total de 538.772 carros elétricos foram vendidos no ano passado, sobretudo na Alemanha, França e Holanda

Carros elétricos: os veículos híbridos e os elétricos superaram pela primeira vez os modelos a diesel na Europa no quarto trimestre

AFP

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

As vendas de veículos elétricos dobraram e as de automóveis híbridos triplicaram em 2020 na Europa, de acordo com os números divulgados nesta quinta-feira pela Associação de Montadoras Europeias de Automóveis (ACEA).

Um total de 538.772 carros elétricos foram vendidos no ano passado, sobretudo na Alemanha, França e Holanda, assim como 507.059 modelos híbridos plug-in, com uma aceleração no quarto trimestre.

Apesar de a crise de saúde ter reduzido em 25% as vendas no mercado europeu, os veículos híbridos e os elétricos superaram pela primeira vez os modelos a diesel na Europa no quarto trimestre, com mais de 900.000 unidades vendidas.

"Após o efeito sem precedentes da covid-19 na venda de veículos, as medidas adotadas pelos governos para estimular a demanda foram direcionadas sobretudo para os veículos de energias alternativas", destaca a ACEA.

Alemanha, Itália e França registraram uma explosão nas vendas de carros elétricos, que também levaram parte da cota de mercado dos modelos a gasolina.

No quarto trimestre, as vendas destes últimos recuaram 33,7%, a 1,2 milhão de unidades (40,6% da cota de mercado) e as vendas de carro a diesel retrocederam 23%, a 731.000 veículos (24,5%).

Os carros elétricos progrediram 216,9%, a 248.000 unidades; os híbridos plug-in 331%, a 227.000 unidades; os híbridos convencionais 104,7%, a 435.000; e as outras energias (etanol, gás natural), sobretudo vendidas na Itália, 19,6%, a 70.000.

Em 2020, os modelos a gasolina representaram 47% das ventas de carros utilitários, seguidos pelos automóveis a diesel (28%), híbridos (11,9%), elétricos e híbridos plug-in (10,5%) e outras energias (2,1%).


Recomendado para você


Leia também

AFP

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais