MERCADOS

Buffett explica por que pagou 0,1% de imposto sobre ganho de US$ 24 bi

PUBLICADO EM: 8.6.21 | 19H13
ATUALIZAÇÃO: 10.6.21 | 9H01
Bilionário foi acusado pelo site ProPublica de evitar pagamento de tributos ao manter sua fortuna alocada em ações e ao não distribuir dividendos da Berkshire Hathaway

Resumo do investidor

1. Buffett pagou 0,1% de imposto de 2014 a 2018, período em que sua fortuna cresceu US$ 24 bilhões 2. Site ProPublica apontou que ele evita impostos ao manter fortuna em ações e não distribuir dividendos da Berkshire 3. Buffett disse que acionistas da empresa não querem dividendos e que seu patrimônio irá para filantropia

Warren Buffett em Washington, dia 13/10/2015

Buffett é considerado o maior investidor de todos os tempos e tem hoje um patrimônio de US$ 109 bilhões | Foto: Kevin Lamarque/Reuters (REUTERS)

Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Beatriz Quesada

Repórter de mercados, passou pelas redações da revista Capital Aberto e rádio BandNews FM | beatriz.quesada@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Warren Buffett, considerado o maior investidor de todos os tempos, se defendeu nesta terça-feira, 8, da acusação de que paga menos impostos do que deveria. O bilionário entrou nos holofotes com a divulgação de um levantamento do site de jornalismo independente ProPublica, que analisou as declarações de imposto de renda de alguns dos mais ricos do mundo.

Quer se tornar um grande investidor? Entenda como escolher as melhores ações listadas na bolsa e aumentar suas chances de lucro

A análise mostra que, entre 2014 e 2018, Buffett pagou o equivalente a apenas 0,1% de imposto sobre o crescimento de seu patrimônio no período, enquanto um cidadão americano médio paga cerca de 14%.

A reportagem da ProPublica afirma que, embora sua fortuna tenha aumentado em 24 bilhões de dólares nos quatro anos, ele relatou apenas 125 milhões de dólares de renda, o que o fez pagar 24 milhões de dólares em impostos.

Buffett – que atualmente tem um patrimônio de 109,2 bilhões de dólares segundo a Forbes – é o bilionário que proporcionalmente paga menos impostos da lista, seguido por Jeff Bezos (0,98%), Michael Bloomberg (1,30%) e Elon Musk (3,27%). Mais de 14.000 americanos pagaram mais impostos do que Buffett no mesmo período.

Um dos principais pontos do levantamento é que Buffett consegue evitar impostos ao acumular sua fortuna em ações da Berkshire Hathaway, empresa da qual é presidente do conselho, diretor executivo e principal acionista.

Uma das estratégias de investimento mais famosas de Buffett é o “buy and hold”, ou seja, comprar e manter as ações por um período extenso, em geral de muitos anos. É o que o investidor tem feito com a própria Berkshire, o que impede que sua riqueza seja transformada em renda tributada pelo fisco americano.

Sem dividendos

Outra estratégia que o bilionário usaria para minimizar seus ganhos de capital e escapar de impostos seria, segundo o site, a política de não-distribuição de dividendos da Berkshire Hathaway. Os dividendos são o pagamento de uma parcela do lucro líquido de uma empresa a seus acionistas, mas sua distribuição não é obrigatória. 

A companhia de Buffett não distribui dividendos sob o argumento de que é melhor reinvestir esse dinheiro para aumentar ainda mais o valor das ações da companhia. Segundo a ProPublica, se a Berkshire tivesse oferecido um dividendo próximo à média do mercado nos últimos anos, Buffett teria recebido mais de 1 bilhão de dólares por meio dessa fonte e, por tabela, teria que pagar centenas de milhões de dólares em impostos a cada ano.

O que Buffett disse

O bilionário de 90 anos respondeu às principais afirmações da ProPublica com um documento de 23 páginas, incluindo trechos de relatórios anuais da Berkshire, comunicados à imprensa, reproduções de artigos divulgados na mídia e uma declaração.

Ele reforçou a visão de que os investidores da empresa preferem que os lucros sejam reinvestidos em vez de distribuídos como dividendos. O investidor destacou que o pleito para decidir se haveria ou não distribuição de lucros, realizado em 2014, foi vencido pelo “não” na proporção de 87 votos a 1 entre os acionistas detentores de ações classe A e de 47 a 1 entre os que possuem papéis classe B (que possuem maior poder de voto).

"Muitos grandes acionistas, incluindo eu, apreciam o aumento de valor a longo prazo, sabendo que ele é destinado à filantropia, não ao consumo ou a aspirações dinásticas", disse Buffett. O bilionário de 90 anos se comprometeu a doar mais de 99% de seu patrimônio a causas filantrópicas e, segundo afirmou, já doou cerca de metade de suas quase 475.000 ações de classe A".

Buffett afirmou que prefere entregar seu dinheiro a instituições de caridade em vez de deixar o patrimônio nas mãos do governo federal “para pagar a dívida nacional” dos Estados Unidos.

“Acredito que o dinheiro será mais útil para a sociedade se for desembolsado de forma filantrópica do que se for usado para reduzir ligeiramente uma dívida cada vez maior dos EUA”, disse.

Ainda assim, o megainvestidor reforçou seu apoio para que as regras tributárias do país sejam alteradas para reduzir a desigualdade. Ele afirmou que espera que o crédito de imposto de renda do governo americano – um crédito reembolsável para famílias de baixa renda – seja “amplamente expandido” e defendeu que grandes fortunas concentradas em um só indivíduo não são desejáveis para a sociedade.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME

Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Beatriz Quesada

Repórter de mercados, passou pelas redações da revista Capital Aberto e rádio BandNews FM | beatriz.quesada@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame