MERCADOS

Abertura de Mercado: as ações que devem subir, segundo a análise gráfica

PUBLICADO EM: 7.6.21 | 9H49
Otto Sparenberg vê grande potencial de alta para ações da CVC; papel bateu máxima desde fevereiro de 2020

Foto : Yuichiro Chino/Getty Images (Getty Images)

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 1MIN

O Ibovespa fechou o último pregão pela primeira vez acima dos 130.000 pontos, estabelecendo um novo recorde. Segundo Otto Sparenberg, analista técnico do BTG Pactual Digital (do mesmo grupo controlador da Exame), o índice tem espaço para subir até a marca dos 132.000 pontos antes de chegar a uma zona de resistência mais forte. 

No curtíssimo prazo, porém, o analista aponta que seria “saudável” uma leve correção no índice. Ou seja, se a bolsa cair nesta segunda-feira, 7, não deve haver grandes motivos para preocupação.

Conheça o maior banco de investimentos da América Latina

Na Abertura de Mercado desta segunda, Sparenberg também mostrou ações que reservam um potencial de alta ainda maior para o curto prazo. Entre eles, o da CVC (CVCB3), que, na última sessão, subiu 7,4% e fechou na máxima desde fevereiro do ano passado. 

“O papel abre agora um grande vazio e tem espaço para andar até 34,61 reais, que seria o próximo ponto de resistência dinâmica", afirma o analista. Caso as previsões se concretizem, a alta seria de 27,7%. 

Sparenberg também vê espaço para as ações do Iguatemi (IGTA3) subirem 8,3%, chegando a 49,33 reais. 

Com projeto de privatização para ser votado no Senado, a Eletrobras (ELET3/ELET6) reserva um grande potencial de alta, de acordo com os gráficos. Segundo Sparenberg, após subir 6,5% na última semana, a ELET6 abriu espaço para subir mais 13,6%, chegando aos 52 reais. “O papel já vem em uma tendência de alta muito clara”, comentou.

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame