Exame Invest
Mercados

Ações da BRF sobem após notícia de que JBS avalia contra-ataque a Marfrig

PUBLICADO EM: 11.6.21 | 11H57
Movimento seria realizado para frear o avanço da concorrente sobre o controle da dona das marcas Sadia e Perdigão
brf

BRF é dona de marcas como Sadia e Perdigão | Foto: Victor Moriyama/Bloomberg (Bloomberg)

Imagem da Editoria Exame Invest
Reuters



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

As ações da companhia de alimentos BRF (BRFS3) saltaram no início dos negócios na bolsa nesta sexta-feira, 11, após notícia do jornal O Globo de que a rival JBS (JBSS3) estuda um contra-ataque à Marfrig (MRFG3) para avançar sobre o controle da dona das marcas Sadia e Perdigão.

Procurada, a JBS disse que não comenta especulações de mercado.

Entenda como escolher as melhores ações listadas na bolsa e aumentar suas chances de lucro com evento gratuito

O movimento da JBS, maior produtora global de carnes, ocorreria depois de a Marfrig ter se tornado recentemente a maior acionista individual da BRF, num movimento que surpreendeu o mercado.

Por volta de 11h45, as ações da BRF desaceleravam os ganhos e subiam 3,78%, negociadas a 28,63 reais. Na máxima, os papéis dispararam 14,4%, a 31,98 reais. Já JBS e Marfrig são negociadas em queda, com perdas de 0,24% e 1,23%, respectivamente. 

Avanço da Marfrig sobre a BRF

A Marfrig comunicou ao mercado na última quinta-feira, 3, que elevou sua participação na BRF para aproximadamente 31,66%. 

A companhia manteve o posicionamento de que se trata de um investimento passivo e de que não pretende interferir na BRF. A Marfrig afirmou que não tem intenção de eleger membros para o conselho de administração e que não celebrou quaisquer contratos ou acordos que regulem o exercício de direito de voto.

Vale lembrar, no entanto, que a compra coloca a Marfrig perto dos limites estabelecidos no estatuto da BRF para acionistas minoritários. 

O "poison pill", incluído no estatuto social da BRF, determina que qualquer acionista que se torne titular de 33,33% das ações da empresa terá de divulgar este fato e lançar, em até 30 dias contados a partir da aquisição mais recente, uma oferta pública de aquisição (OPA) para todos os demais acionistas. 

O preço da OPA embutiria um prêmio de 40% sobre a média de preço das ações da BRF nos 120 dias anteriores e também nos 30 dias anteriores.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME

Imagem da Editoria Exame Invest
Reuters


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame