MERCADOS

Ações fecham em queda, sob peso de Crimeia e PMI da China

PUBLICADO EM: 24.3.14 | 15H01
Ações de companhias com grande exposição à Rússia sofreram pressão
Bolsa de Londres

Bolsa de Londres: índice FTSEurofirst 300, que reúne os principais papéis do continente, recuou 1,03 por cento, a 1.293 pontos

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Londres - As ações europeias fecharam em queda nesta segunda-feira, anulando parte dos ganhos da semana passada, diante da preocupação com os eventos na Ucrânia e a fraqueza na atividade industrial da China.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne os principais papéis do continente, recuou 1,03 por cento, a 1.293 pontos.

Ações de companhias com grande exposição à Rússia sofreram pressão, enquanto os Estados Unidos deram início a negociações de crise com aliados europeus sobre a Ucrânia.

O papel da fabricante de pneus finlandesa Nokian Renkaat recuou 2,1 por cento, a ação do banco austríaco Raiffeisen Bank International perdeu 2 por cento e o papel da cervejaria dinamarquesa Carlsberg caiu 0,6 por cento. As três empresas têm cerca de 26 por cento, 22 por cento e 17 por cento, respectivamente, de suas receitas vindas da Rússia, de acordo com dados do MSCI.

O FTSEurofirst acumulou alta de 1,8 por cento na última semana, após a Rússia assegurar que não vai intervir nos assuntos de quaisquer outras regiões da Ucrânia.

"As tensões geopolíticas aliviaram um pouco... mas o mercado continua suscetível a manchetes negativas", disse o diretor de negociações do Guardian Stockbrokers, Atif Latif.

O setor industrial também foi pressionado, após o índice PMI da China recuar à mínima em oito meses de 48,1 pontos em março, abaixo do esperado. O índice tem estado abaixo do nível de 50 desde janeiro, indicando contração no setor neste ano.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame