MERCADOS

Vale sobe mais de 3% com disparada do minério de ferro

PUBLICADO EM: 10.5.21 | 9H20
ATUALIZAÇÃO: 10.5.21 | 10H36
Commodity se valorizou 10% no mercado asiático e fechou acima de 226 dólares a tonelada, estabelecendo um novo recorde
Vale

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

As ações da Vale sobem 3,14% nesta segunda-feira, 10, embaladas pela valorização de 10% do minério de ferro na China. No mercado de futuros de Singapura, onde também é negociada, a commodity subiu para mais de 226 dólares a tonelada, batendo um novo recorde.

O movimento de alta também é acompanhado pelas siderúrgicas CSN (CSNA3), Gerdau (GGBR4) e Usiminas (USIM5), que sobem 4,39%, 2,55% e 1,76%, respectivamente.

A disparada do minério, segundo o Financial Times, foi impulsionada pela expectativa uma recuperação pujante da indústria global de aço, com a tonelada do minério de ferro chegando a 212 dólares no mercado à vista. Com os preços em patamares jamais vistos, além da Vale, outras mineradoras apresentam fortes altas no mundo todo.

Na Austrália, uma das maiores concorrentes da Vale, a Rio Tinto, subiu 4,59%, enquanto os papéis da britânica BHP sobe 2,59% na bolsa de Londres.

Com ajuda do programa chinês de estímulo por meio de infraestrutura, apresentado ainda nos primeiros meses de pandemia, o minério de ferro acumula alta de cerca de 150% em relação ao início do ano passado.

Mas foi a partir da última semana, quando as negociação voltaram após um longo feriado na China, que valorização se intensificou, com sua cotação ultrapassando a barreira dos 200 dólares.

No mercado, analistas acreditam que o preço do minério de ferro deve se manter em patamares elevados por um longo tempo, mas abaixo do atual.

"A incapacidade da oferta atual de suprir a velocidade da demanda está fazendo a expectativa de preços ir cada vez mais para cima. Mas tem que ter cuidado para não achar que estamos entrando em um 'novo normal' de minério de ferro eternamente a 200 dólares", diz Bruno Lima, analista-chefe da Exame Invest Pro.

Um dos riscos para a manutenção do preço do minério acima de 200 dólares é uma possível intervenção de órgãos reguladores da China.

Na última semana, quando o preço do metal bater 200 dólares, a indústria chinesa de aço aumentou a pressão sobre o governo local para ajudar com o "mau funcionamento" do mercado e melhorar as políticas do mercado de futuros, segundo o South China Morning Post.

Segundo a agência de notícias estatal da China, Xinhua, a indústria local poderia não aguentar os níveis atuais do minério de ferro. De acordo com a Bloomberg, o governo chinês já teria agendado inspeções sobre a capacidade de cortes de produção.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame