Exame Invest
Mercados

B3 questiona Ser por forte alta e volume atípico antes de fato relevante

PUBLICADO EM: 16.6.21 | 7H52
Financiamento de 200 milhões de reais, divulgado na última noite, havia sido debatido em reunião do Conselho na tarde de segunda-feira

Ações subiram 13% antes de fato relevante ser divulgado | Foto: Yuichiro Chino/ Getty Images (Getty Images)

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

As últimas movimentações envolvendo as ações da companhia de ensino Ser (SEER3) chamaram a atenção dos fiscais da B3, que questionaram a empresa sobre as oscilações atípicas de segunda-feira, 14, quando seus papéis fecharam em alta de 7,13%, com o volume de negociação superando em 41% a média dos últimos 9 dias.

A resposta da Ser veio na noite de terça-feira, 15, após suas ações terem tido mais um pregão de destaque, subindo 5,57% e acumulando alta de 13,1% em dois dias, mas empresa afirmou que "não possui conhecimento sobre qualquer informação que possa justificar as oscilações atípicas".

Três minutos antes de publicar a resposta ao ofício da B3 no site da CVM, no entanto, a companhia soltou um fato relevante anunciando um financiamento de 200 milhões de reais obtido com International Finance Corporation (IFC), do Banco Mundial, que será pago em 7 anos, com taxa de juros média de 2,55% ao ano + CDI.

No fato relevante a empresa afirma que os recursos obtidos "vão assegurar investimentos na atualização das plataformas de ensino a distância e o desenvolvimento de produtos para ajudar as unidades educacionais a enfrentar a crise provocada pela pandemia". No entanto, em resposta à B3, a empresa se limitou a dizer que a operação "é parte do curso normal dos negócios e historicamente não altera o comportamento do mercado".

Em outro documento entregue à CVM na noite de terça-feira, a Ser revela que o financiamento com o IFC foi tema da reunião do Conselho de Administração realizada na segunda-feira, às 14h, quando o mercado ainda estava aberto a negociações. Os conselheiros participaram da reunião por telefone.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame