MERCADOS

Vendo ação como barata, BBI diz que "a hora de comprar Petrobras é agora"

PUBLICADO EM: 17.5.21 | 10H26
ATUALIZAÇÃO: 17.5.21 | 10H29
O banco elevou recomendação dos papéis da petroleira, assim como o preço-alvo, que passou para R$ 35,00, dando um potencial de valorização de 33% frente ao último fechamento
Petrobras

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

O Bradesco BBI elevou nesta segunda-feira, 17, a recomendação da Petrobras (PETR3; PETR4) de neutra para compra, assim como o preço-alvo, que passou de 32,00 reais para 35,00 reais. A nova meta corresponde a um potencial de valorização de 33% frente ao último fechamento.

Descubra as melhores oportunidades da bolsa com a ajuda da Exame Invest Pro

Para a revisão, os analistas Vicente Falanga e Gustavo Sadka, que assinam o relatório do banco, comentam que a nova classificação segue a mensagem positiva da equipe de gestão da companhia na teleconferência de resultados, realizada na última sexta-feira, sobre continuidade, em especial, sobre a política de dividendos e venda de ativos.

Nesse contexto, eles acreditam que o risco/retorno possa fazer sentido, citando que as ações são negociadas com um múltiplo valor da firma sobre geração operacional de caixa (EV/Ebitda, na sigla em inglês) de 3,1 vezes e um retorno sobre o fluxo de caixa livre aos acionistas de 21% estimados para este ano.

"A hora de comprar é agora. O risco de eleição deve começar a pesar mais na relação de risco/retorno quando o papel se aproximar de 35,00 reais", comentam.

"De uma lista de 500 empresas de combustíveis fosseis, a Petrobras é a 22ª mais barata baseada em EV/EBITDA estimado para 2022 e a 5ª mais barata baseada em dividend yield [dividendos sobre o preço da ação]".

No relatório, eles elevaram também as estimativas para o fluxo de caixa livre ao acionista para 13,25 bilhões de dólares em 2021, em meio à observação de que a Petrobras vem consistentemente entreguendo uma produção com menor necessidade de capex (investimentos em bens de capital).

Como resultado, os analistas revisaram a projeção de dividendos de 7,7 bilhões de dólares para 8,4 bilhões de dólares em 2022.

Apesar da mensagem positiva da gestão da empresa, eles comentam que o risco da tese continua na política de preços da companhia, sendo que a mudança de preço de combustíveis deve ser menos frequente daqui para frente.

Eles apontam que o preço do petróleo pode bater 80 dólares o barril no terceiro trimestre deste ano, uma vez que os estoques da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) sequem rapidamente. "Nesse caso, acreditamos que a Petrobras não deve ajustar os preços de forma ágil como o mercado gostaria, podendo levar à frustração dos investidores", ponderam.

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame