Exame Invest
Mercados

Blackstone tem lucro recorde com venda de hotel e cassino em Las Vegas

PUBLICADO EM: 27.9.21 | 10H14
ATUALIZAÇÃO: 27.9.21 | 12H09
Negócio de US$ 5,65 bilhões representa cerca de 10 vezes o valor investido em 2014; compradores são a MGM e um grupo de investidores institucionais
Hotel e cassino The Cosmopolitan, em Las Vegas, terão novos donos | Foto: Jacob Kepler/Bloomberg

Hotel e cassino The Cosmopolitan, em Las Vegas, terão novos donos | Foto: Jacob Kepler/Bloomberg (Bloomberg)

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

A Blackstone, um dos maiores grupos de investimentos e private equity do mundo, chegou a um acordo para vender o hotel e o cassino The Cosmopolitan, em Las Vegas, para a MGM Resorts International e um pool de investidores por 5,65 bilhões de dólares (cerca de 30 bilhões de reais).

Trata-se do negócio mais rentável da história da Blackstone: o lucro deve chegar a 4,1 bilhões de dólares, o equivalente a cerca de 10 vezes o valor originalmente investido, segundo carta a investidores obtida pelo The Wall Street Journal.

A Blackstone, fundada em 1985 por Stephen Schwarzman, que é o CEO do grupo, tem cerca de 685 bilhões de dólares em ativos sob gestão.

O The Cosmopolitan é um dos complexos de hotel com cassino mais novos de Las Vegas, tendo sido inaugurado em novembro de 2010 pelo Deutsche Bank, que havia assumido depois de calote do desenvolvedor Ian Bruce Eichner. A Blackstone adquiriu o The Cosmopolitan do banco alemão em 2014.

  • É hora de investir em ativos ligados ao turismo? Descubra com a assessoria do BTG Pactual digital

O negócio recém-acertado segrega a propriedade do cassino e do hotel dos direitos de operação. Estes foram adquiridos por 1,6 bilhão de dólares pela MGM, que tem seus próprios negócios na cidade conhecida como a capital dos jogos de azar.

Uma parceria que inclui o braço da Blackstone para real estate adquiriu o hotel e o cassino por 4 bilhões de dólares. Outros investidores são a Stonepeak Partners, um grupo especializado em infraestrutura, a Cherng Family Trust, um family office de Las Vegas, e o Panda Restaurant Group.

A venda da Blackstone representa mais um exemplo de uma tendência dos negócios em Las Vegas: a venda das propriedades para que os grupos possam se concentrar no business de operação dos cassinos e dos hoteis.

Em agosto, a MGM vendeu sua divisão de real estate, a MGM Growth Properties, para a Vici Properties por 17,2 bilhões de dólares.

Apesar da pandemia e da crise em muitos segmentos do turismo, os negócios em Las Vegas se recuperaram rapidamente: em julho, mais de 3,3 milhões de pessoas visitaram a cidade, o equivalente a 90% do mesmo mês em 2019.

No Brasil, há alguns anos há uma ala de parlamentares que busca legalizar a atividade de cassinos e jogos de azar, sob a alegação de que pode gerar receitas e empregos para o país. No início deste mês, o presidente da Câmara, Arthur Lira, criou um grupo de trabalho para debater a questão.

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame