Exame Invest
MERCADOS

Bolsa japonesa fecha acima de 30 mil pontos com expectativas econômicas

PUBLICADO EM: 15.2.21 | 10H43
O índice Nikkei terminou em alta de 1,91%, a 30.084,15 pontos
Membros do movimento nacionalista "Ganbare Nippon" segurando bandeiras nacionais japonesas marcham perto do santuário Yasukuni enquanto prestam homenagem aos mortos na guerra no 75º aniversário da rendição do Japão na Segunda Guerra Mundial, em meio ao surto da doença coronavírus (COVID-19), em Tóquio , Japão, 15 de agosto de 2020. REUTERS / Issei Kato

(REUTERS)

Imagem da Editoria Exame Invest
Reuters



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 1MIN

As ações japonesas subiram nesta segunda-feira, fechando em máximas de mais de 30 anos, devido às crescentes expectativas de uma recuperação nos ganhos corporativos e no crescimento econômico.

Conheça o maior banco de investimentos da América Latina e invista com os melhores assessores

O índice Nikkei terminou em alta de 1,91%, a 30.084,15 pontos, retomando o nível psicologicamente importante de 30.000 pela primeira vez desde agosto de 1990.

Os setores de energia, saúde e indústrias lideraram os ganhos.

O Topix mais amplo avançou 1,04% para 1.953,94, fechando em seu nível mais alto desde junho de 1991.

As ações das empresas que relataram ganhos tiveram altas, à medida que os investidores continuaram a apostar em setores que devem apresentar bom desempenho à medida que a economia global se recupera da pandemia do coronavírus.

O Japão deve começar a vacinação contra o coronavírus esta semana, o que também está sustentando os preços das ações.

No entanto, as ações japonesas subiram 8% até agora neste mês, e alguns analistas alertam que o mercado pode estar superaquecido.

"As ações subiram tão rápido que você poderia dizer que ultrapassaram o limite de velocidade", disse Ayako Sera, estrategista de mercado do Sumitomo Mitsui Trust Bank.

As ações também tiveram um impulso depois que os dados mostraram que o Produto Interno Bruto do Japão cresceu mais rápido do que o esperado no quarto trimestre.

Imagem da Editoria Exame Invest
Reuters


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame