Exame Invest
Mercados

Embraer acerta venda de até 100 'carros voadores' para gigante global

PUBLICADO EM: 23.9.21 | 9H08
ATUALIZAÇÃO: 23.9.21 | 12H44
As companhias devem trabalhar para desenvolver um ambiente regulatório e uma certificação para operação dos chamados eVTOLs
Embraer lança a Eve, sua nova empresa focada em “carros voadores”

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

A Embraer (EMBR3) anunciou ao mercado nesta manhã de quinta-feira, 23 de setembro, um acordo para vender até 100 "carros elétricos voadores", conhecidos pela sigla eVTOLs, para a bristânica Bristow.

As aeronaves, que funcionam com pouso e decolagem verticais, devem começar a ser entregues para a gigante global em transporte aéreo em 2026.

Por meio de sua subsidiária Eve Urban Air Mobility, a Embraer também anunciou uma parceria com a Bristow. As companhias devem trabalhar no desenvolvimento de um certificado de operador aéreo para os eVTOLs, no design de veículos e vertiportos, além do desenvolvimento regulatório para o ambiente operacional.

"Juntas, nossas equipes desenvolverão as estruturas e operações robustas necessárias para criar uma indústria de mobilidade urbana aérea (UAM, na sigla em inglês) acessível, escalonável, sustentável e segura”, afirmou Andre Stein, Presidente & CEO da Eve em fato relevante.

Já a Bristow ressalta que a parceria tem potencial de "remodelar o mercado para todos os voos verticais elétricos com emissões de zero carbono e custos operacionais mais baixos". "Isso nos permite expandir nossa experiência para fornecer uma opção sustentável, inovadora e eficiente em novos mercados finais potenciais", disse presidente e diretor executivo da Bristow, Chris Bradshaw.

Reagindo positivamente ao crescimento do número de encomendas de aeronaves, as ações da Embraer têm uma das melhores performances do Ibovespa neste ano. com alta acumulada de 140%. Entres os mais de 90 componentes do índice, somente os papéis da Méliuz (CASH3) e Braskem (BRKM5) superam a valorização da Embraer, com respectivas altas de 200% e 142%.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame