Exame Invest
Mercados

Clear Sale estreia, minério de ferro despenca e o que mais move o mercado

PUBLICADO EM: 30.7.21 | 7H04
ATUALIZAÇÃO: 30.7.21 | 7H57
Com cenário negativo no exterior, Ibovespa pode fechar julho em queda, quebrando sequência de quatro meses de alta
Minério de ferro da Vale: empresa teve que cortar oferta depois da tragédia de Brumadinho

Minério de ferro da Vale: commodity despenca mais de 6% em bolsas asiáticas

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

As principais bolsas internacionais operam em queda na manhã desta sexta-feira, 30, com temores sobre a variante delta e apertos regulatórios na China se sobrepondo ao otimismo com a temporada de balanços e com a recuperação econômica. 

Na Europa, o PIB do segundo trimestre da Zona do Euro, divulgado nesta manhã, ficou em 2%, superando as estimativas de 1,5% de alta. Na comparação anual, o crescimento do bloco foi de 13,7%, acima dos 13,2% esperado. Por outro lado, a inflação também subiu, com o índice de preço ao consumidor batendo 2,2% ante a expectativa de 2% no acumulado de 12 meses. 

Apesar dos dados apontarem para uma sólida recuperação, o índice Stoxx 600 cai 0,54%, na Europa. No mercado de futuros americano, o S&P 50 recua 0,7% e o Nasdaq, 1,2%, com investidores digerindo o resultado da Amazon, que saiu com receita abaixo da esperada. No pré-mercado da Nasdaq, as ações da empresa de e-commerce despencam 6%.

Julho vermelho

O cenário externo negativo deve levar o Ibovespa a fechar o mês de julho em queda. Até o fim do último pregão, o principal índice da B3 já acumulava perdas de 0,89%. Esta poderá ser a primeira baixa mensal desde fevereiro. De lá para cá, a bolsa brasileira subiu 14,2%. 

Embora as perdas acumuladas do Ibovespa sejam pequenas, revertê-las neste pregão pode ser quase impossível, tendo em vista que as ações da Vale (VALE3), com a maior participação no Ibovespa, tendem a ter um pregão negativo, absorvendo parte do movimento do minério de ferro.

Minério de ferro despenca

Nesta madrugada, o minério de ferro caiu 8,1% na bolsa de Dalian. Em Singapura, onde as negociações costumam ser menos voláteis, a commodity fechou em baixa de 6,2%. Segundo a Reuters, a queda foi pressionada pela redução da produção de aço na China, que passa por uma desaceleração da demanda doméstica por materiais de construção. 

Estreia da Clear Sale

As ações da Clear Sale (CLSA3) estreiam na B3 nesta sexta, após serem precificadas no topo da faixa indicativa, a 25 reais, em oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) que movimentou 1,3 bilhão de reais. Do ramo da tecnologia, a empresa é especialista em programas contra fraudes em compras digitais. 

Com o forte crescimento do e-commerce devido à pandemia, em 2020, a Clear Sale conseguiu aumentar sua receita líquida em 65,7% para 345,6 milhões de reais. Levantando cerca de 800 milhões em oferta primária, a empresa espera utilizar 50% do dinheiro arrecadado para o crescimento orgânico, 20% para projetos de inovação e os outros 30% para potenciais aquisições.

Balanços

Com a agenda de balanços mais fraca nesta sexta, somente duas empresas irão apresentar seus respectivos resultados. Com previsão de receita de 8 bilhões de reais, a Usiminas (USIM5) deve reportar seus números do segundo trimestre antes do início do pregão. Já a Alpargatas (ALPA4), da marca Havaianas, irá apresentar seu balanço no fim do dia.

Neste pregão, investidores ainda irão repercutir os resultados da última noite. Entre eles estiveram os da Localiza (RENT3), Fleury (FLRY3), EcoRodovias (ECOR3), Cesp (CESP6) e Cetesp (TRPL4).

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame