Exame Invest
Mercados

Criação de vagas nos EUA em agosto decepciona: 235 mil empregos

PUBLICADO EM: 3.9.21 | 9H51
ATUALIZAÇÃO: 3.9.21 | 9H54
Estimativas de Wall Street apontavam para a geração de 720 mil a 750 mil postos de trabalho; aumento de casos de covid pela variante Delta afetou o resultado, segundo analistas
trabalhador estados unidos

Trabalhadora em fábrica nos Estados Unidos: criação de empregos perdeu força em agosto | Foto: Bill Pugliano/Gettyu Images (Getty Images)

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 1MIN

A criação de vagas de emprego nos Estados Unidos em agosto ficou muito abaixo das projeções de mercado: foram 235 mil empregos líquidos (novas vagas menos as fechadas), enquanto as estimativas apontavam para algo entre 720 mil e 750 mil.

A avaliação é que o aumento dos casos de Covid-19 em razão do avanço da variante Delta reduziu a demanda por viagens e entretenimento.

A divulgação do relatório de emprego do Departamento do Trabalho ocorre em um momento em que economistas estão reduzindo as suas estimativas para o Produto Interno Bruto do terceiro trimestre. Entre os motivos citados estão o ressurgimento das infecções por causa da variante Delta do coronavírus e a escassez de matérias-primas.

Segundo pesquisa da Reuters, a expectativa do mercado era que tivessem sido criadas 750 mil vagas de emprego no mês passado. Em julho, a economia americana havia criado 1,053 milhão de empregos.

A taxa de desemprego recuou de 5,4% em julho para 5,2% em agosto, mas a queda se deveu a efeitos não relacionados à geração de vagas em si, segundo especialistas.

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame