MERCADOS

CVC, Iguatemi, vendas do varejo e o que mais move o mercado

PUBLICADO EM: 8.6.21 | 7H06
ATUALIZAÇÃO: 8.6.21 | 7H13
Bolsas internacionais sobem, com sinais de recuperação econômica; PIB sai melhor do que o esperado na Zona do Euro
Loja CVC; São Paulo; Primeira Loja; Atendimento, Máscara; Turismo

CVC: agência de turismo estuda levantar recursos no mercado

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Os principais índices de ações apresentam leves altas no exterior na manhã desta terça-feira, 8, com investidores monitorando os sinais de recuperação econômica e inflação.

Na Europa, foi divulgado o PIB do primeiro trimestre da Zona do Euro, que teve contração anual de 1,3%. Ainda que negativo, o número saiu melhor do que as estimativas do mercado, que esperava por uma queda de 1,8%. Na comparação trimestral, o PIB caiu 0,3%. Por lá, o índice Stoxx 50 sobe 0,3%. 

Por outro lado, na Alemanha, o índice de percepção econômica medido pela ZEW saiu abaixo do esperado, ficando em 79,8 pontos ante expectativa de 86 pontos. No país, a produção industrial de abril, divulgada nesta madrugada, também decepcionou, registrando queda de 1% contra a alta esperada de 0,5%. Apesar dos dados piores do que os estimados, a bolsa de Frankfurt segue o tom positivo do mercado internacional e sobe 0,2%.

No Brasil, o principal dado econômico do dia será o de vendas do varejo, medido pelo IBGE. Segundo estimativas do mercado, as vendas referentes a a devem apresentar crescimento anual de 19,8% e se manter próximo da estabilidade em relação ao mês anterior. Caso saiam muito melhor ou pior do que o esperado, o dado tem grande potencial de mexer com ações do setor. 

CVC

A CVC (CVCB3) emitiu um fato relevante na última noite, afirmando que estuda levantar recursos por meio de uma oferta pública primária de valores mobiliários. 

“[A empresa] avalia constantemente alternativas de captação de recursos junto aos mercados de renda fixa ou variável, sempre alinhada com seu planejamento estratégico e as atuais condições”, informou no documento entregue à CVM.

Ainda que não tenha informado quando ou como será feita a oferta, a CVC já entrou em contato com bancos de investimentos para realizar a operação. Entre eles estão o Citi e o BTG Pactual (do mesmo grupo controlador da Exame).

Iguatemi

O Iguatemi (IGTA3) anunciou que será incorporado por sua controladora Jereissati. Segundo a empresa, o objetivo é “simplificar a estrutura societária, consolidando as suas bases acionárias em uma única companhia, sem alteração da estrutura de controle, propiciando, assim, um aumento de liquidez de suas ações e uma maior capacidade de investimento e crescimento”.

Com a reorganização, a Jereissati passará a se chamar Iguatemi S. A. e será negociada por meio de units na B3. A mudança também implicará na saída do Iguatemi do Novo Mercado da B3, segmento que exige o mais alto nível de governança da bolsa, para o Nível 1 da B3. 

O Iguatemi também informou que seu conselho administrativo aprovou o início do processo de sucessão do presidente Carlos Jereissati, que deve deixar o cargo para a atual vice-presidente financeira, Cristina Anne Betts.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame