Exame Invest
Mercados

Dólar futuro supera R$5,70 e juros voltam a disparar com risco fiscal

PUBLICADO EM: 22.10.21 | 9H24
Pela primeira vez desde abril, conforme investidores seguiam impondo nos preços riscos maiores de abandono da responsabilidade fiscal
Notas de real e dólar em casa de câmbio, no Rio de Janeiro 10/09/2015 REUTERS/Ricardo Moraes

Dólar: o Banco Central não anunciou ofertas líquidas de dólar para esta sessão.

Imagem da Editoria Exame Invest
Reuters



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 1MIN

O mercado de câmbio voltou a abrir sob pressão nesta sexta-feira, com o dólar futuro superando 5,70 reais pela primeira vez desde abril, conforme investidores seguiam impondo nos preços riscos maiores de abandono da responsabilidade fiscal com o furo do teto de gastos.

O dólar futuro bateu 5,7030 reais na máxima. Às 9h06, subia 0,51%, a 5,6945 reais. No mercado à vista, a moeda ganhava 0,37%, a 5,6890 reais, após pico de 5,695 reais (+0,47%).

A exemplo da véspera, o Banco Central não anunciou ofertas líquidas de dólar para esta sessão.

Os juros futuros mantinham-se sob intensa onda de compra, com as taxas disparando mais 44 pontos-base em alguns vencimentos, aumentando a pressão para o Bacen acelerar o ritmo de aumentos da taxa Selic.

Na noite de quinta, assim que os mercados fecharam, o Ministério da Economia comunicou que o secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, e o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, pediram exoneração de seus cargos ao chefe da pasta, Paulo Guedes, marcando nova rodada de baixas na equipe econômica em meio à sinalização do governo de que irá contornar a regra do teto de gastos para colocar de pé um novo Bolsa Família mais robusto.

Imagem da Editoria Exame Invest
Reuters


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame