MERCADOS

GetNinjas estreia; balanço de Méliuz, Rede D'Or e o que move o mercado

PUBLICADO EM: 17.5.21 | 7H05
ATUALIZAÇÃO: 17.5.21 | 8H45
Bolsas internacionais iniciam semana em queda, após apresentarem forte recuperação no último pregão na sexta
B3; Bolsa; Bovespa; Painel; Investimento; Ações

Fachada da B3 no centro de São Paulo: dia de estreia com a GetNinjas (GUSTAVO SCATENA)

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Os principais índices de ações do mercado internacional apresentam leves quedas nesta segunda-feira, 17, após terem apresentado forte recuperação no pregão de sexta-feira, 15. Nos Estados Unidos, por outro lado, o rendimento dos títulos de 10 anos volta a cair nesta manhã, indicando alguma redução dos temores de inflação, que derrubaram as bolsas no início da semana passada.

O que ajuda a arrefecer as preocupações foram dados mais fracos da economia chinesa. Divulgada na noite de domingo, 16, o crescimento da produção industrial chinesa desacelerou de 14,1% de março para 9,8% em abril. Já as vendas do varejo subiram 17,7% na comparação anual, ficando abaixo do aumento esperado de 24,9%.

Especialistas, no entanto, acreditam que a inflação americana seguirá como um dos temas cruciais para o mercado por um longo tempo. Na tentativa de desvendar como ela se dará, investidores estão ainda mais atentos aos números das principais economias do mundo.

Dados muito melhores do que os esperados, nesse caso, podem causar reações negativas nas bolsas e no câmbio. Mas, sem grandes divulgações macroeconômicas previstas para esta segunda, as atenções devem estar com a agenda corporativa, recheada de balanços do primeiro trimestre.

GetNinjas

No Brasil, o principal evento da bolsa será a estreia das ações da GetNinjas (NINJ3). Maior plataforma de serviços do país, a companhia levantou 554 milhões de reais em oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês), com cada ação saindo por 20 reais - 20% abaixo do piso da faixa indicativa, que ia de 24,99 a 33,50 reais.

Do montante arrecadado, 321 milhões de reais foram obtidos por meio de oferta primária, em que o valor é destinado ao caixa da empresa. De acordo com o prospecto da oferta, cerca de 65% desse total deve ir para ações de marketing, enquanto 20% para recursos humanos e 15% para reforçar o caixa. 

Na bolsa, a empresa de tecnologia chega em um momento de fuga do setor. Entre os investidores, o medo é de que essas companhias sejam as mais afetadas por possíveis altas de juros para conter a inflação americana. 

Méliuz

Apesar da aversão ao setor de tecnologia, há sempre exceções - e a Méliuz (CASH3) é a principal delas. Com valorização acumulada de 140% no ano, a empresa de cupons de desconto irá apresentar o balanço do primeiro trimestre antes do início do pregão desta segunda. 

A expectativa de analistas do BTG Pactual é de que a empresa apresente receita líquida de 64 milhões de reais, o dobro do apresentado no mesmo período do ano passado. 

Rede D'Or

Quem já divulgou seu balanço nesta manhã foi a gigante do ramo hospitalar Rede D'Or (RDOR3). No primeiro trimestre, a empresa registrou lucro líquido de 402,4 milhões de reais, quase quadriplicando o lucro de 113,5 milhões de reais do mesmo período de 2020.

O forte crescimento do lucro, porém, já era aguardado. O que surpreendeu foi o EBITDA ajustado, que ficou em 1,33 bilhão de reais, contra a estimativa mediana de 913 milhões de reais, colhida pela Bloomberg.

Balanços

Após o encerramento dos negócios, será a vez de Cruzeiro do Sul (CSED3), Focus Energia (POWE3), Gafisa (GFSA3), Linx (LINX3) e Mosaico (MOSI3) apresentarem seus resultados do primeiro trimestre do ano.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame