MERCADOS

Ibovespa fecha em alta e recupera os 104 mil; Magalu sobe após aquisições

PUBLICADO EM: 6.8.20 | 16H10
ATUALIZAÇÃO: 6.8.20 | 17H45
Falas de Guedes e Maia e pedidos de seguro desemprego abaixo do esperado nos EUA impulsionam bolsa
Investidores começam a semana de olho em novas recomendações para a carteira diante de fatos como a eleição de Biden e a proximidade de uma vacina para a covid-19

Bolsa: Ibovespa sobe 1,29% e encerra em 104.125 pontos. (NurPhoto via Getty Images)

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

A bolsa brasileira encerrou em alta nesta quinta-feira, 6, com ajuda do cenário externo positivo e após falas do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, terem agradado os investidores. O Ibovespa, principal índice da B3, subiu 1,29% e encerrou em 104.125 pontos.

Embora a bolsa tenha recuperado parte das últimas perdas, até pouco antes da abertura do pregão à vista o clima era de pessimismo, com o Ibovespa futuro chegando a cair quase 0,9%. O movimento, porém, virou após a divulgação dos dados de seguro desemprego, que ficaram em 1,186 milhão, abaixo de 1,415 milhão de pedidos. "Os dados vieram muito melhores que o esperado. Isso ajudou a dar uma forte reversão nos índices acionários", disse Henrique Esteter, analista da Guide Investimentos.

Ainda nos EUA, o presidente Donald Trump afirmou que se os parlamentares não chegarem a um acordo sobre o pacote de estímulo, poderá, na sexta-feira ou no sábado, autorizar por meio da extensão do auxílio para desempregados.

Por aqui, o mercado se animou com o discurso de Guedes contrário à criação de uma nova CPMF e do Maia, que defendeu o teto de gastos. “Tinha um burburinho no mercado sobre a possibilidade da suspensão do teto de gastos para 2021, isso havia trazido alguma insegurança”, comentou Ilan Arbertman, analista da Ativa Investimentos.

No radar dos investidores também estiveram as aquisições feitas pela Magazine Luiza das plataformas Canaltech e Inloco Media. Os papéis da companhia subiram 3,51%. "É um passo interessante para a companhia dar volume à MagaluAds, plataforma de publicidade online. É uma via adicional de monetização do tráfego e um caminho ainda a ser explorado pelo e-commerce brasileiro", escreveram analistas da Exame Research em relatório.

Impulsionadas pelo resultado do segundo trimestre, as ações da Totvs lideraram as altas do Ibovespa pela maior parte do pregão, e encerraram com valorização de 10,85%. No período, a companhia teve lucro líquido de 58 milhões de reais, crescimento de 1,4% na comparação anual, mas cerca de 30% abaixo do esperado pelo mercado. Embora o lucro tenha decepcionado, o balanço apresentou aspectos positivos, como o fluxo de caixa livre de 123,7 milhões de reais e a posição em caixa de 1,3 bilhão de reais.

"Em geral, o resultado foi positivo, apesar do lucro abaixo do consenso. A divisão de tecnologia continua sendo a estrela da companhia", afirma Bruno Lima, analista de renda variável da Exame Research.

As ações da Cielo também apresentaram forte alta, chegando a liderar o Ibovespa por alguns momentos, após o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, afirmar que o banco contratou uma consultoria junto com o Bradesco para a separação dos negócios na Cielo e EloPar. Os papéis avançaram 10,67%.

As ações de companhias de shoppings centers deram continuidade ao movimento de alta iniciado na véspera, após o resultado do Iguatemi ter surpreendido positivamente. Nesta sessão, as ações da BR Malls subiram 11,20%, as da Multiplan, 7,66% e as do Iguatemi 4,77%.

Já as ações da AES Tietê figuraram entre as maiores valorizações do Índice Small Caps, com alta de 4,91%. O movimento reflete o balanço financeiro e a aquisição de três parques eólicos no Rio Grande do Norte. No segundo trimestre, a empresa registrou alta de 236% do lucro líquido para 119 milhões de reais, ficando 24,3% acima do consenso de mercado.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame