MERCADOS

Ibovespa sobe impulsionado por Petrobras e bolsas de NY

PUBLICADO EM: 14.5.21 | 12H10
ATUALIZAÇÃO: 14.5.21 | 16H05
Ações da estatal sobem cerca de 3%, após resultado do primeiro trimestre superar estimativas; Vale cai com queda do minério de ferro

Resumo do investidor

Às 16h: - Ibovespa avança 0,90%, aos 121.791 pontos - Dólar comercial recua 0,91% e é negociado a 5,265 reais - EUA: Dow Jones avança 1,12%, S&P 500 tem alta de 1,59% e Nasdaq sobe 2,40%

B3; Bolsa; Bovespa; Painel; Investimento; Ações

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

O Ibovespa opera em alta nesta sexta-feira, 14, acompanhando as bolsas americanas, que se recuperam após iniciarem a semana com três quedas consecutivas em meio aos temores de inflação no mercado internacional. Às 16h, o principal índice da B3 subia 0,90%, aos 121.791 pontos.

O índice Nasdaq, que vinha sendo o mais penalizado pela expectativa de inflação, hoje é o que tem o melhor desempenho no mercado dos Estados Unidos, com alta de 2,40%. O Dow Jones, com menor participação de empresas de tecnologia, sobe 1,12%.

No mercado brasileiro, no entanto, é o resultado do primeiro trimestre da Petrobras (PETR3; PETR4) que impulsiona a bolsa. No período, a empresa apresentou Ebitda ajustado de 48,95 bilhões de reais, superando o consenso de mercado da Bloomberg de 46,88 bilhões de reais. O lucro líquido ficou em 1,17 bilhão de reais. 

Com a segunda maior participação do Ibovespa, as ações da estatal avançam mais de 4% nos primeiros negócios do dia e contribuem com a alta do índice. Além do resultado, a alta de 2,33% do petróleo Brent também ajudam a impulsionar os papéis da companhia.

Bruno Lima, analista-chefe da Exame Invest Pro, no entanto, alerta que -- apesar do balanço positivo -- a política de preços da nova direção da estatal ainda precisa ser posta à prova. "Petrobras é um ativo aparentemente barato? Sem dúvidas. Mas o primeiro trimestre foi gestão [do ex-presidente] Castello Branco. Agora vai começar a nova gestão de fato", disse em na live Abertura de Mercado desta sexta. 

Por outro lado, a principal ação do Ibovespa, a Vale (VALE3) cai 2,10%, após mais um dia de forte desvalorização do minério de ferro na China. Após ter recuado cerca de 10% na véspera, nesta madrugada, a commodity registrou baixa de mais 7,5%, revertendo a alta da semana para queda de 4,4%, segundo a Reuters.

Além da Vale, as siderúrgicas CSN (CSNA3), Gerdau (GGBR4), Gerdau Metalúrgica (GOAU4) e Usiminas (USIM5), que também se beneficiam da alta do metal, são negociadas em queda de 2,71%, 3,99%, 4,24% e 4,68%, respectivamente. A Usiminas, a propósito, ocupa a lanterna do índice.

Por outro lado, a desvalorização do minério de ferro, após um início de semana de fortes altas, ajuda a arrefecer as expectativas de inflação no mundo -- o que tende a ser positivo para moedas emergentes, já que diminui a chance de uma alta de juros nos Estados Unidos. Com as expectativas de inflação arrefecidas, o dólar se desvaloriza contra as principais moedas do mundo, incluindo o real.

Por aqui, a moeda americana cai cerca de 0,82% e é negociada abaixo da casa dos 5,30 reais. Apesar da queda, o dólar caminha para fechar a semana em alta, interrompendo a sequência de seis semanas seguidas de queda.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame