Exame Invest
Mercados

Ibovespa sobe com recuperação de bolsas de NY; JBS dispara

PUBLICADO EM: 20.7.21 | 10H35
ATUALIZAÇÃO: 20.7.21 | 16H15
Ações de frigoríficos são destaque de alta em meio ao agravamento de peste suína na China

Resumo do investidor

Às 16h10: - Ibovespa sobe 0,94%, aos 125.567 pontos - Dólar comercial cai 0,72% e é negociado a 5,213 reais - EUA: Dow Jones avança 1,7%, S&P 500 tem alta de 1,72% e Nasdaq sobe 1,85%

Painel de cotações da B3 (NurPhoto via Getty Images)

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

O Ibovespa se firma no campo positivo nesta terça-feira, 20, após um pregão de fortes perdas na véspera e um início de sessão de forte volatilidade. O movimento acompanha a recuperação do mercado americano, que registrou perdas significativas ontem em meio a temores sobre efeitos econômicos da variante delta do coronavírus. Às 16h10, o principal índice da B3 subia 0,94%, aos 125.567 pontos.

O dólar, que chegou a ser negociado próximo de 5,30 reais nos primeiros negócios do dia, teve seu movimento de alta resfriado, em linha com valorização de moedas emergentes no exterior. Às 16h10, a moeda americana caía 0,72% contra o real, sendo negociada a 5,213 reais.

Entre os destaques de alta desta sessão estão os frigoríficos, com JBS (JBSS3) e Marfrig (MRFG3) subindo 6,2% e 3,66%, respectivamente. BRF (BRFS3) e Minerva (BEEF3) aparecem pouco atrás, com respectivas altas de 2,06% e 1,71%. No radar dos investidores está o surto de peste suína na China, que pode aumentar a demanda por produtos das companhias brasileiras. 

De acordo com a Reuters, autoridades locais já admitem que o controle da situação está "complicado". Em 2018, a peste suína dizimou os rebanhos chineses, fazendo disparar a importação de carnes pelo gigante asiático. Em 2019, as ações brasileiras do setor foram um dos grandes destaques de alta.

Entre as maiores altas também estão as ações da holding das Lojas Americanas (LAME4), subindo 5,7%. Já as ações da Americanas (AMER3, junção das operações físicas das Lojas Americanas com a B2W) operam próximas a estabilidade, em alta de 0,02%. Os papéis estiveram entre as maiores perdas do Ibovespa na última sessão, que marcou a estreia das ações AMER3 na bolsa -- e a saída da BTOW3, antigo código da B2W.

As ações da Vale (VALE3), que possuem a maior participação no Ibovespa, sobem 0,43% após recuarem pela manhã. Mais cedo, o preço dos papéis caiu, repercutindo o relatório de produção do segundo trimestre da mineradora, que ficou abaixo das expectativas de mercado.

No período, a empresa aumentou em 12% sua produção de minério de ferro para 75,7 milhões de toneladas, mas ficou abaixo do consenso de 78 milhões de toneladas. Embora a Vale tenha mantido a previsão de produção entre 315 e 335 milhões de toneladas, o número mais fraco tem levado investidores a reduzir suas estimativas para o piso do guidance.

Com o segundo maior peso índice, as ações da Petrobras (PETR3/PETR4) sobem em torno de 2,4%, acompanhando a recuperação do preço do petróleo no exterior. No início da semana, o petróleo Brent, referência para a política de preço da estatal, teve desvalorização superior a 6%, com incertezas sobre o nível da demanda e certeza de maior oferta após membros da Opep chegarem a um acordo para o aumento da produção. Nesta terça, a commodity chegou a cair mais 1,5%, mas zerou as perdas e agora sobe cerca de 1,4%.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame