Exame Invest
Mercados

Ibovespa e Vale em queda: analista técnico do BTG diz o que esperar

PUBLICADO EM: 20.8.21 | 21H00
ATUALIZAÇÃO: 20.8.21 | 21H31
Programa semanal com Otto Sparenberg, do BTG Pactual digital, analisa os índices e as ações que se destacaram, além de ativos pedidos por investidores

Para onde vai o Ibovespa? E a Vale? Veja o que diz a análise técnica | Foto: Jesada Wongsa/Getty Images (Getty Images/EyeEm)

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

"Foi uma semana bem complicada para o Ibovespa." O principal índice da bolsa brasileira encerrou a semana com queda acumulada de 2,59%, aos 118.052,77 pontos, mas com ganhos na quinta e na sexta, dias 19 e 20. Na quarta-feira, no entanto, teve o menor patamar de fechamento desde 1º de abril, aos 116.642,62 pontos.

Com tamanha variação, investidores se perguntam sobre qual tendência deve predominar no Ibovespa no encerramento de agosto e nas próximas semanas. O tema foi abordado no programa "A Semana na Bolsa" desta sexta à noite, 20, com Otto Sparenberg, analista técnico do BTG Pactual digital, transmitido no YouTube da EXAME Invest.

"O índice veio testar uma região importante que foi suporte também no passado, dos 118 mil pontos", disse Sparenberg mostrando a região com o gráfico na tela. "Paramos em 38,2% [aos 116.528, pontos], uma linha importante de suporte. O índice deixou um padrão na quinta e na sexta tentando uma retomada interessante."

O analista técnico do BTG Pactual digital também utilizou como base de estudo o índice de força relativa, que oscila entre zero e cem. "O índice mede com base no período que você determina a força relativa do movimento, se está sobrecomprado ou sobrevendido", explicou Sparenberg ao destacar 14 períodos no gráfico na tela.

"Vimos o Ibovespa caminhar para o patamar de sobrevendido", apontou o analista do BTG Pactual digital, que destacou ainda outros momentos do passado recente em que essa situação foi registrada no Ibovespa.

Sparenberg também avaliou o comportamento das ações da Vale pela análise técnica: "A Vale perdeu a zona de suporte a acelerou [a queda] ainda mais". Ele mostrou quais os pontos de suporte abaixo da cotação atual de 97,55 reais que podem servir como sustentação a partir da qual a mineradora pode ensaiar uma recuperação.

A queda na cotação da Vale chega a 13,40% desde o pico alcançado no dia 3 deste mês.

Otto Sparenberg avaliou ainda o Índice Dow Jones, em Nova York, índices setoriais da B3, como o ICON (Índice de Consumo) e o IMOB (Índice Imobiliário), e papéis como os preferenciais da Petrobras (PETR4) e da Braskem (BRKM5), além de outros.

Assista ao programa na íntegra no canal da EXAME Invest no YouTube:

 

 

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame