Exame Invest
Mercados

Ibovespa ignora inflação e tapering e fecha em alta de mais de 1%

PUBLICADO EM: 13.10.21 | 17H20
ATUALIZAÇÃO: 13.10.21 | 17H38
Ata do Fed revela início da retirada de estímulos até o fim do ano e inflação ao consumidor supera estimativas nos EUA
Estrangeiro põe dinheiro e pessoa física tira da bolsa

Painel de cotações da B3 | Foto: Germano Lüders/Exame

Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Beatriz Quesada | Guilherme Guilherme

Repórteres da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

O Ibovespa subiu 1,14% e encerrou em 113.456 pontos, no pregão desta quarta-feira,13, que marcou a volta do mercado brasileiro após o feriado de Nossa Senhora Aparecida. O movimento descolou das tímidas altas das bolsas de Wall Street, onde investidores monitoraram dados da economia americana e a ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed). 

“O mercado está acreditando em uma recuperação econômica do Brasil no 2º semestre, provavelmente em cima do ritmo de vacinação, enquanto o cenário global segue mais penalizado”, afirma Jerson Zanlorenzi, diretor da mesa de operações do BTG Pactual digital.

Nos Estados Unidos, a ata do Fed mostrou consenso entre seus membros para que a retirada dos estímulos via compra de ativos tenha início entre novembro e dezembro deste ano e término em meados do ano que vem. Embora não tenha sido uma surpresa para o mercado, tendo em vista as últimas declarações do presidente do Fed, Jerome Powell, o tapering tem sido visto como um dos principais motivos para a desvalorização de moedas emergentes, como o real.

Com o tapering no radar, o dólar atingiu o maior patamar em seis meses nesta quarta e só freou sua valorização frente ao real após o Banco Central ir ao mercado, com um leilão de 1 bilhão de dólares. Após fazer a atuação do BC, a moeda americana fechou em queda de 0,55%, a 5,508 reais.

No radar dos investidores também esteve o índice de preço ao consumidor americano (CPI, na sigla em inglês), que voltou a superar as estimativas, após duas divulgações. Referente ao mês de setembro, o CPI teve alta de 0,4% ante a expectativa de 0,3%. Já o CPI de 12 meses bateu 5,4%, acima do consenso de 5,3%.

Apesar do tapering e dos dados de inflação mais forte, as ações de tecnologia estiveram entre os principais destaques do mercado brasileiro e americano. Nos Estados Unidos, o índice Nasdaq, que tem o pior desempenho dos últimos 30 dias se comparado ao S&P 500 e ao Dow Jones, foi o que mais subiu em Wall Street, fechando em alta de 0,73%. O S&P 500 subiu 0,33%, enquanto o Dow Jones fechou praticamente estável.

Destaques

Em dia marcado por forte valorização das ações de tecnologia, os papéis das fintechs Banco Pan (BPAN4) e Banco Inter (BIDI11) lideraram as valorizações do Ibovespa, com respectivas altas de 9,68% e 7,80%, após figurarem entre as maiores perdas do último pregão, na segunda-feira, 11.  Já a Totvs (TOTS3) subiu 4,87% e Locaweb (LWSA3), 1,02%.

Empresas ligadas ao consumo também apresentaram forte apreciação, a exemplo da alta de 6,73% da Petz (PETZ3) e de 6,72% do Pão de Açúcar (PCAR3). No setor de educação, Cogna (COGN3) subiu 6,42% e Yduqs (YDUQ3), 4,57%, respectivamente. Já as administradoras de shoppings Iguatemi (IGTA3), Multiplan (MULT3) e BrMall (BRML3) avançaram 4,43%, 3,49% e 3,01%, respectivamente.

Na ponta negativa, estiveram as empresas de commodities. Acompanhando a desvalorização do petróleo, a PetroRio (PRIO3) liderou as perdas do Ibovespa, com queda de 3,02%. Já a Vale (VALE3), com maior participação no índice, caiu 2,9%, após a depreciação do minério de ferro na China, que também contribuiu para a queda das siderúrgicas CSN (CSNA3) e Usiminas (USIM5).

Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Beatriz Quesada | Guilherme Guilherme

Repórteres da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame