MERCADOS

Ibovespa não acompanha alta de NY e recua com quedas de Vale e Petrobras

PUBLICADO EM: 20.5.21 | 15H00
ATUALIZAÇÃO: 20.5.21 | 16H07
Mercado internacional reage positivamente após pedidos de seguro desemprego saírem quase em linha com as expectativas

Resumo do investidor

Às 16h: - Ibovespa recua 0,10%, aos 122.511 pontos - Dólar comercial sofre desvalorização de 0,72% e é negociado a 5,278 reais - EUA: Dow Jones avança 0,66%, S&P500 tem alta de 1,14% e Nasdaq sobe 1,76%

B3; Bolsa; Bovespa; Painel; Investimento; Ações

Painel da B3 | Foto: Germano Lüders/Exame

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

O Ibovespa recua nesta quinta-feira, 20, com as ações da Vale (VALE3) e Petrobras (PETR3; PETR4) impedindo que o índice acompanhe as altas das bolsas de Nova York. Às 16h, o índice caía 0,10% para 122.511 pontos. Nos Estados Unidos, os índices S&P 500 e Nasdaq sobem mais de 1%, enquanto o Dow Jones avança 0,66%, se recuperando das perdas dos últimos três pregões.

Apesar do tom positivo no mercado internacional, ainda no início do dia, investidores estrangeiros digeriam negativamente a ata da última reunião do Federal Reserve (Fed, banco central americano), divulgada na tarde de ontem. No documento, o Fed chegou a abordar a possibilidade de diminuir o ritmo de seu programa de estímulo caso a economia americana demonstre sinais de forte recuperação.

O humor, porém, melhorou após a divulgação dos pedidos de seguro desemprego. O número ficou em 444.000, levemente abaixo das estimativas de 450.000 pontos, mas a queda foi compensada pela revisão para cima de 4.000 pedidos apresentados na última semana. 

Os dados apontam que o mercado de trabalho americano ainda não está plenamente recuperado, o que corrobora a tese do Fed de que a economia ainda precisa de estímulos. Um deles é manter a taxa de juros no intervalo entre zero e 0,25 ponto percentual, onde está estacionada desde março de 2020. Antes da divulgação, investidores temiam que o Fed apertasse sua política de estímulos, prejudicando a renda variável.

Mas apesar do tom positivo no exterior, a queda do minério de ferro na China e a desvalorização do barril de petróleo têm pressionado as ações das duas empresas com maior representação no Ibovespa: a Vale (VALE3) e a Petrobras (PETR3; PETR4) que recuam, respectivamente, 1,18%, 1,69% e 1,34%. 

O minério de ferro recuou 1,99% no porto de Qingdao, para 211,85 dólares a tonelada, com os receios de que a China possa intensificar a regulamentação sobre o metal para conter a alta dos preços. Já os contratos futuros de petróleo Brent e WTI recuam em torno de 1,6% em meio à expectativa de aumento de oferta, com a possível retirada de sanções comerciais sobre o Irã.

Destaques

Entre os destaques de queda do pregão também estão as ações da Eletrobras (ELET3; ELET6) que caem mais de 3%, com investidores realizando lucros da última sessão, quando os papéis fecharam em alta com o avanço de seu projeto de privatização na Câmara.

Já na ponta positiva, as units do Banco Inter (BIDI11) avançam mais de 4%, após a empresa anunciar uma parceria com o Banco ABC para complementação de operações no mercado de capitais.

As units do BTG Pactual (BPAC11, do mesmo grupo controlador da EXAME) avançam 1,02%, após o portal NeoFeed ter noticiado que o banco comprou o grupo Universa, dono da casa de análise Empiricus, da gestora Vitreo, e dos sites MoneyTimes e Seu Dinheiro.

No radar dos investidores também está a troca de comando da Cielo (CIEL3), anunciada na última noite. Com a renúncia do então presidente Paulo Caffarelli, o cargo será ocupado pelo então vice-presidente de finanças e diretor de relações com investidores Gustavo Henrique Santos de Sousa. Após abrirem entre as maiores queda do Ibovespa, as ações da companhia reduziram a desvalorização para 0,26%.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame