Exame Invest
MERCADOS

Ibovespa segue alta nos EUA e avança 2% em dia de eleição no Congresso

PUBLICADO EM: 1.2.21 | 9H56
ATUALIZAÇÃO: 2.2.21 | 10H58
Índice sobe com possível vitória do governo na escolha dos novos presidentes da Câmara e do Senado; dólar cai 0,45%
B3; Bolsa; Bovespa; Painel; Investimento; Ações

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

O Ibovespa subiu nesta segunda-feira, 1, mostrando recuperção diante das últimas três semanas de perdas. O movimento ocorre em linha com as principais bolsas internacionais, que também se recuperam após os temores especulativos que dominaram o mercado na última semana. O principal índice da bolsa brasileira avançou 2,13% para 117.513 pontos.

Conheça o maior banco de investimentos da América Latina e invista com os melhores assessores

No Brasil, as atenções do dia se voltaram à disputa pelas presidências da Câmara e do Senado. O favoritismo dos candidatos do governo Rodrigo Pacheco no Senado e Arthur Lira na Câmara deram algum otimismo às negociações. 

Para investidores, o fato de terem o apoio do governo pode facilitar o avanço da agenda do ministro Paulo Guedes, além de diminuir os ruídos políticos entre Congresso e Planalto. A votação no Senado já começou e está prevista para sair no início da noite, enquanto a da Câmara deve ser revelada um pouco mais tarde. "O clima político tende a ser melhor com lideranças que apoiem o governo", comenta Camila Abdelmalack, economista-chefe da Veedha.  

Refletindo o otimismo sobre a possibilidade de vitória de Pacheco e Lira, as ações da Eletrobras (ELET6; ELET3) estiveram entre as maiores altas do Ibovespa, encerrando o dia com ganhos de 8,98% e 7,46%, respectivamente. Na semana passada, as ações da companhia sofreram fortes perdas, após o pedido de renúncia do presidente Wilson Ferreira Jr. por não ver chance de privatização no curto prazo

A vitória de candidatos do governo, contudo, dá alguma esperança aos investidores. No ano passado, Guedes chegou a afirmar que a culpa de a empresa não ter sido privatizada era de Rodrigo Maia, que deixa o cargo de presidente da Câmara.

“Com a ala do governo favorita para ganhar a presidência da Câmara e do Senado, o mercado entende que há maior chance de aprovação de reformas e de privatizações. E o governo sempre deixou claro que a Eletrobras é a primeira empresa a ser privatizada”, comenta Gustavo Bertotti, economista da Messem. Segundo ele, o anúncio de dividendos, de 2 reais por ação, também contribui para a alta dos papéis da companhia. 

O dólar também refletiu as expectativas positivas do mercado no campo político e fechou em queda ante o real nesta segunda-feira. A divisa americana caiu 0,45%, e encerrou o dia negociada a 5,449 reais.

Além da decisão em Brasília, investidores aguardam pelo balanço do Itaú (ITUB4), que será divulgado após o encerramento do pregão. O banco será o primeiro entre os grandes a apresentar o resultado do quarto trimestre. Bradesco (BBDC3;BBDC4) e Santander (SANB11) apresentam seus balanços ainda nesta semana, enquanto o do Banco do Brasil (BBAS3) está previsto para o próximo dia 11.

Outro destaque positivo do dia foram os papéis da Eneva (ENEV3), que capitanearam os ganhos do Ibovespa, após notícia de que arrematou o polo Urucu da Petrobras.

Alta no exterior

Puxadas por ações de tecnologia, as bolsas americanas recobraram os resultados perdidos diante da forte liquidação registrada na semana passada com a batalha entre investidores de varejo e grandes investidores institucionais de Wall Street.

Na última semana, fundos com posições vendidas, ou seja, que apostavam na queda das ações, tiveram que amargar perdas milionárias (e até bilionárias) com a alta nas cotações motivada por grupos de investidores que se organizaram para comprar os papéis de determinados ativos (como as ações da GameStop) e pressionar as cotações.

O fenômeno ainda não foi isolado, tanto que o frenesi migrou do trading de ações e se concentrou na prata. Os preços do metal chegaram a disparar para uma máxima em oito anos de pouco mais de 30 dólares a onça. Ainda assim, analistas já começam a precificar que essas movimentações não devem causar grande queda nos mercados.

Entre os principais índices americanos, o Dow Jones subiu 0,76%, para 30.211 pontos, enquanto o S&P 500 ganhou 1,61% e fechou o dia a 3.773 pontos. Já o índice de tecnologia Nasdaq avançou 2,55%, para 13.403 pontos. Na Europa, o índice pan-europeu STOXX600 encerrou o dia em alta de 1,24% impulsionado pelo otimismo nos mercados americanos.

Outros destaques

No radar, também segue a greve dos caminhoneiros iniciada nesta segunda-feira. No entanto, a adesão é baixa em relação à greve de 2018, e consequentemente tem causado pouca preocupação no mercado. 

Organizada em resposta ao aumento do preço do diesel nas refinarias, a greve pode ter impactos diretos nas ações da Petrobras, caso o governo resolva interferir na política da companhia.  Até agora, no entanto, o governo cogitou apenas reduzir a alíquota do PIS/Cofins – mas voltou atrás.

Na bolsa, a sessão também marcou a estreia da Espaçolaser (ESPA3), que levantou 2,6 bilhões de reais em oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês). O preço por ação saiu no meio da faixa indicativa, a 17,90 reais. Os papéis da empresa subiram cerca de 17,21% em seu primeiro pregão.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame