Exame Invest
Mercados

Ibovespa segue exterior positivo com investidores digerindo decisão do Fed

PUBLICADO EM: 23.9.21 | 10H38
ATUALIZAÇÃO: 23.9.21 | 15H46
Mercado repercute manutenção de estímulos; B3 cai 3% após protesto do MTST ocupar prédio da bolsa

Resumo do investidor

Às 15h45: - Ibovespa sobe 1,39%, aos 113.843 pontos; - Dólar comercial cai 0,07%, a 5,30 reais; - Nos EUA, S&P 500 avança 1,32%, Dow Jones, 1,57% e Nasdaq, 0,93%.

Small Caps

Painel de cotações da bolsa brasileira, a B3 | Foto: Germano Lüders/Exame

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

O Ibovespa sobe nesta quinta-feira, 23, acompanhando a alta das bolsas internacionais, com investidores ainda digerindo a decisão do Federal Reserve (Fed). Às 15h45, a alta do principal índice da B3 era de 1,39%, aos 113.843 pontos. O dólar comercial cai 0,07%, a 5,30 reais.

Na véspera, o banco central americano sinalizou que a retirada dos estímulos mensais de 120 bilhões de dólares -- processo conhecido como tapering -- deve iniciar apenas "em breve". Ainda assim, cresceram as pressões internas para o Fed começar a subir juros já em 2022. 

"Esperamos que o anúncio de tapering ocorra em novembro, com a redução de estímulos tendo início já em dezembro para terminar até meados de 2022", disse Leonardo Paiva, economista do BTG Pactual Digital na Abertura de Mercado desta quinta.

Nos Estados Unidos, os principais índices de Wall Street chegam a subir mais de 1%. Por lá, foram divulgados nesta manhã os pedidos semanais de seguro desemprego, que subiram de 335.000 para 351.000, ficando acima das expectativas de 320.000 pedidos.

Investidores globais também seguem atentos aos desdobramentos do caso Evergrande, após, segundo o WSJ, o Pequim emitir alertas sobre uma "possível tempestade" no mercado imobiliário chinês. Com passivo de 300 bilhões de dólares, a empresa só deve ter algum resgate do governo local, caso seja uma ameaça sistêmica à economia da China, segundo a agência de classificação de risco Standard & Poor's. Apesar dos sinais de relutância em salvar a Evergrande, o Banco Popular da China vem injetando dinheiro no sistema para restaurar a confiança. 

Por aqui, economistas ainda traçam cenários após nova alta de juros do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. Na última noite, o Copom elevou a taxa Selic de 5,25% para 6,25% e sinalizou, em comunicado, que "antevê um ajuste de mesma magnitude" para a próxima reunião, em novembro. O BC ainda informou que deve subir os juros para "terreno contracionista". Na bolsa, os juros futuros de curto prazo apresentam leves altas, enquanto parte do mercado vendo a Selic entre 8,25% e 8,75% para o fim do ano.

"A decisão já era esperada. Em dezembro, pode ser que o BC mantenha o ritmo de alta de 1 p.p. ou caia um pouco. O BC quer observar como os dados vão se comportar até lá para definir. O BC cada vez mais está olhando para 2023. Então temos que ficar de olho como estão as expectativas de inflação", comentou Paiva.

Destaques da bolsa

Com perspectivas de taxas de juros mais altas, os grandes bancos apresentam fortes altas e impulsionam os ganhos do Ibovespa. Com a maior participação do setor no índice, o Itaú (ITUB4) sobe 3,53%, enquanto Bradesco (BBDC4), Santander (SANB11) e Banco do Brasil (BBAS3) avançam 4,39%, 3,36% e 0,92%, respectivamente.

Ainda no setor financeiro, as ações da B3 (B3SA3) recuam quase 3% após manifestantes ligados ao Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) ocuparem parte do prédio da bolsa no começo da tarde. A ação acontece em protesto contra o encarecimento do preço dos alimentos e o agravamento da fome no Brasil. Em nota por meio de sua assessoria de imprensa, a B3 afirmou que a manifestação não afeta as operações do pregão desta quinta-feira.

O maior destaque positivo do pregão são as ações da Embraer (EMBR3), que disparam mais de 11,74%, após a empresa anunciar o pedido de encomenda da Bristow de até 100 eVTOLs, conhecidos como "carros elétricos voadores". Junto com o pedido de encomenda, a Embraer informou que fará uma parceria, por meio de sua subsidiária Eve, com a americana Bristow para o desenvolvimento do mercado de aeronaves de mobilidade urbana de pouso e decolagem vertical, como é o caso do eVTOL. Os papéis da Embraer também receberam recomendação de compra de analistas do Goldman Sachs.

"A Embraer vem se recuperando de maneira célere desde o seu período mais negativo atingido em 2020. Diversas parcerias têm sido anunciadas, com destaque para a Eve, que tem se posicionado com um dos principais players globais no desenvolvimento de aeronaves elétricas de pouso e decolagem vertical para mobilidade urbana", diz em nota Luis Sales, analista da Guide.

Com a segunda maior alta do Ibovespa, os papéis da Ultrapar (UGPA3) avançam 9,38%, após a empresa anunciar plano de reestruturação de seu Conselho Administrativo e da sucessão do Ipiranga, que terá Leonardo Remião Linden como novo presidente.

"Linden tem um perfil forte para enfrentar os desafios de reverter as operações da Ipiranga a fim de melhorar as margens, recuperar participação de mercado e, por fim, extrair mais valor da base de ativos existente", avaliam em nota analistas do Credit Suisse.

Outras ações que se destacam entre as maiores valorizações são as de aviação e turismo, que seguem embaladas pela menor restrição a viagens internacionais em alguns dos destinos favoritos de brasileiros, como Estados Unidos e Argentina. Nesta manhã, GOL (GOLL4) e Azul (AZUL4) avançam cerca de 4% e a CVC (CVCB3) sobe 6,28%.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame