Exame Invest
Mercados

Ibovespa acelera alta com decisão do Fed e sobe de olho em Vale e bancos

PUBLICADO EM: 28.7.21 | 10H30
ATUALIZAÇÃO: 28.7.21 | 16H32
Investidores focam em agenda de resultados, e índice ganha impulso após decisão de juros nos EUA

Resumo do investidor

Às 16h25: - Ibovespa sobe 1,46%, aos 126.434 pontos; - Dólar comercial recua 1,2% e é negociado a 5,115 reais; - EUA: Dow Jones cai 0,28%, S&P 500 tem alta de 0,11% e Nasdaq avança 0,83%

B3; Bolsa; Bovespa; Painel; Investimento; Ações

Painel de cotações da B3 | Foto: Germano Lüders/Exame

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

O Ibovespa sobe nesta quarta-feira, 28, se recuperando das perdas da véspera com o impulso da safra de resultados corporativos do segundo trimestre de 2021. O principal índice da B3 acelerou levemente os ganhos após decisão monetária nos EUA, e avança com o desempenho de Vale (VALE3) e bancos. Às 16h25, o Ibovespa sobe 1,46%, aos 126.434 pontos.

No exterior, investidores também reagem a resultados corporativos e à decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central americano). O Fed manteve taxas inalteradas próximas de zero, como já era esperado, e manteve seu programa de compra de títulos. 

A autoridade reforçou que o aumento da inflação é transitório e que deve manter sua política monetária até que perceba maiores avanços da economia. O Fed, no entanto, reconheceu que houve progresso na recuperação econômica, e afirmou que deve monitorar os avanços nas próximas reuniões.

“Existem duas mudanças importantes no comunicado. A primeira é um pequeno ajuste que leva em conta os efeitos potenciais da variante Delta. A segunda é que o comitê reconheceu o avanço da economia em direção aos objetivos da política monetária, afirmando que ‘continuará a avaliar o progresso [da economia] nas próximas reuniões’”, afirma, em nota, Roberto Attuch, CEO da Ohmresearch.

Após a decisão, os índices americanos continuam a operar em direções opostas. Índices amplos, como o Dow Jones e o S&P 500, estão operam sem força, enquanto Nasdaq sobe reagindo aos balanços da Apple e da Google.

O comunicado do Fed impulsionou opções mais arriscadas de investimentos, dando força à bolsa brasileira e enfraquecendo o dólar, que aprofundou suas perdas frente ao real. A moeda americana é negociada em queda de 1,2%, a 5,115 reais.

Destaques de ações

Com a maior participação do Ibovespa, as ações da Vale sobem 2,85%, antes da empresa divulgar seu resultado trimestral nesta noite. O otimismo com os números por vir tem como base o balanço de uma das principais concorrentes da mineradora, a australiana Rio Tinto, que saiu acima do esperado, com dados de vendas fortes.

Segunda empresa com maior peso, a Petrobras (PETR3/PETR4) contribui para a alta do índice, operando com ganhos de 1,73% e 2,36%, respectivamente. No radar, está a valorização do petróleo, que sobe em torno de 0,3% após queda nos estoques dos Estados Unidos.

As ações dos grandes bancos também ajudam a sustentar a alta do Ibovespa, após o resultado do Santander (SANB11) abrir a temporada de balanços do setor. Com lucro recorrente de 4,171 bilhões de reais no segundo trimestre, o banco surpreendeu as estimativas que apontavam 3,9 bilhões de reais de lucro. O número foi impulsionado pela queda das provisões de perdas com inadimplência.

Na bolsa, as ações do Santander sobem 0,63%. Itaú (ITUB4), Bradesco (BBDC4) e Banco do Brasil (BBAS3) avançam 4,19%, 2,47% e 1,17%, respectivamente. Além do resultado, como pano de fundo está a queda da inadimplência dos bancos dos 4,1% de maio para 4%, em junho. O dado foi divulgado nesta manhã pelo Banco Central.

A maior alta do Ibovespa, no entanto, está com as ações da Weg (WEGE3), que disparam 7,3%. A forte valorização ocorre após a companhia de motores e tintas ter mais do que dobrado seu lucro líquido para 1,13 bilhão de reais, em resultado do segundo trimestre divulgado nesta manhã. O lucro superou até mesmo as estimativas de 796 milhões de reais.

O efeito de resultados trimestrais, porém, foi negativo sobre o setor de supermercados. Nesta sessão, as ações do Assaí (ASAI3) figuram entre as maiores quedas, recuando 1,98%, após a divulgação do resultado do segundo trimestre. No período, a empresa teve receita líquida de 10,05 bilhões de reais, 22% acima do registrado no segundo trimestre de 2020 e superior às expectativas. Já seu lucro teve alta de 62% na comparação anual para 305 milhões de reais. A desvalorização posterior ao resultado também derruba as ações do Carrefour (CRFB3) em 1,21%.

Fora do Ibovespa, as ações do TC (TRAD3, ex-TradersClub) disparam 11% em sua estreia na B3. Em oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês), a empresa levantou cerca de 700 milhões de reais. Outra ação que estria nesta quarta é a da Armac (ARML3), que saltam 21%, após ter saído no topo da faixa indicativa, a 16,63 reais.

 

 

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame