MERCADOS

Inflação dos EUA, decisão do BCE, JSL e o que mais move o mercado

PUBLICADO EM: 10.6.21 | 7H05
Bolsas internacionais seguem próximas da estabilidade à espera de índice de preço sobre consumidor americano - o último antes da reunião do Fed
Christine Lagarde

Christine Lagarde: presidente do BCE | Foto: Vincent Kessler/Reuters (REUTERS)

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Os principais índices de ações oscilam próximos da estabilidade nesta quinta-feira, 10, enquanto investidores aguardam pela divulgação do dado mais importante da semana, o índice de preço ao consumidor americano (CPI, na sigla em inglês) de maio.

O último antes da reunião de política monetária dos Estados Unidos, que será realizada na próxima semana, o CPI deve esquentar os debates sobre uma possível redução das medidas de estímulo do Federal Reserve (Fed, banco central americano), caso saia acima das expectativas. 

No mercado, a mediana das estimativas colhidas pela Bloomberg aponta para uma alta mensal de 0,4%, com a inflação podendo chegar a 4,7% no acumulado de 12 meses. Por lá, a meta de inflação é de 2%, mas o próprio presidente do Fed, Jerome Powell, já sinalizou algumas vezes que irá esperar uma recuperação econômica sólida antes de apertar a política monetária. 

Por outro lado, a possibilidade de redução de estímulos via compra de ativos já foi discutida na reunião do Fed de abril e a pauta pode ganhar ainda mais força. No mercado, redução de estímulos é tudo que os investidores não querem ouvir. Por isso, há grandes debates sobre se a inflação americana é apenas temporária ou se é estrutural o suficiente para levar a uma diminuição dos estímulos monetários. 

Além do próprio dado de inflação, investidores também estarão atentos aos pedidos semanais de seguro desemprego. A expectativa é de que o número renove a mínima desde os primeiros impactos da pandemia no mercado de trabalho americano e fique em 370.000. Com menos desemprego, a tendência é de que os salários aumentem, alimentando ainda mais a inflação do país.

BCE

A manhã desta quinta também será marcada pela decisão de juros do Banco Central Europeu (BCE). 

Apesar das preocupações sobre a alta da inflação, que já começa a dar as caras no Velho Continente, a estimativa do mercado é de que a presidente Christine Lagarde mantenha as condições de incentivo econômico, com a taxa de depósito permanecendo em patamares negativos de 0,5% e a taxa de juros zerada. 

obre o Programa de Compra de Emergência Pandêmica de 1,85 trilhão de euros, investidores esperam que seja mantido inalterado.

JSL

No radar corporativo, a empresa de logística JSL (JSLG3), anunciou a aquisição da Marvel Transportes por 245 milhões de reais. A compra servirá para aumentar a atuação da companhia na entrega de cargas congeladas e refrigeradas de alto valor agregado. 

“A combinação das operações trará uma grande oportunidade de sinergias comerciais e operacionais, especialmente pela complementaridade de sua base de clientes e rotas percorridas”, afirmou a JSL em fato relevante.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame