Exame Invest
Mercados

Infraestrutura ESG deve ser financiada por empresas, diz Yellen

PUBLICADO EM: 3.6.21 | 9H52
Secretária do Tesouro dos Estados Unidos também apontou para oportunidades de maiores resultados financeiros, já que investimentos em linha com os critérios costumam ser menos arriscados
A ex-presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, fala durante um painel de discussão na reunião da American Economic Association / Allied Social Science Association (ASSA) 2019 em Atlanta, Geórgia, EUA, 4 de janeiro de 2019. REUTERS / Christopher Aluka Berry

Janet Yellen, secretária do Tesouro dos Estados Unidos | Foto: Christopher Aluka Berry/Reuters (REUTERS)

Imagem da Editoria Exame Invest
Estadão Conteúdo



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, reforçou na manhã desta quinta-feira, 3, a importância da participação do setor privado no financiamento de infraestruturas limpas, que contribuam para o combate às mudanças climáticas e obedeçam aos princípios ambientais, sociais e de governança (ESG). A afirmação foi feita durante discurso em um evento sobre investimentos em infraestrutura organizado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e o G-20.

Conheça  com o maior banco de investimentos da América Latina. Abra sua conta no BTG Pactual digital

Na ocasião, ela destacou a prerrogativa ambiental, ao afirmar que cerca de 70% das emissões globais vêm do uso e construção de infraestrutura, mas também apontou para oportunidades de maiores resultados financeiros, já que investimentos em linha com os critérios de ESG costumam ter menos riscos. "Hoje, enfrentamos uma lacuna anual de investimento em infraestrutura global de cerca de U$ 2,5 trilhões a US$ 3 trilhões, que não pode ser preenchida apenas com fundos do setor público. Se o mundo tem uma esperança realista de alcançar nossos objetivos climáticos e evitar os efeitos mais catastróficos das mudanças climáticas, devemos preencher essa lacuna investindo em infraestrutura sustentável."

Para mobilizar esses investimentos, a ideia é melhorar a qualidade dos dados de infraestrutura, para que investidores tenham acesso a métricas ESG mais claras e comparáveis. Isso faz parte dos esforços do G-20, que tem atuado para desenvolver indicadores para os Princípios para Investimento em Infraestrutura de Qualidade (QII).

"Insisto em maior colaboração entre governos e iniciativas do setor privado à medida que identificamos e refinamos as métricas mais úteis para promover o investimento em infraestrutura. Devemos trabalhar juntos", disse a secretária do Tesouro.

Nos EUA, o plano de US$ 1,7 trilhão proposto pela Casa Branca prevê a modernização de 20 mil milhas (cerca de 32 mil km) de rodovias e estradas, além da expansão da infraestrutura de banda larga do país e da possibilidade de catalisar investimentos do setor privado em infraestrutura e tecnologias verdes, comenta ela.

Yellen também lembrou do Plano Internacional de Financiamento do Clima dos EUA anunciado em abril na Cúpula dos Líderes sobre o Clima e disse que o Tesouro assumiu a copresidência do Grupo de Trabalho de Finanças Sustentáveis do G-20 e vai trabalhar com parceiros internacionais para solucionar barreiras aos investimentos em infraestrutura em mercados emergentes.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME

Imagem da Editoria Exame Invest
Estadão Conteúdo


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame