Exame Invest
Mercados

Melhor IPO do ano? Para o BTG, Intelbras vale a compra

PUBLICADO EM: 11.5.21 | 10H15
ATUALIZAÇÃO: 11.5.21 | 10H54
Segundo analistas do banco, o balanço do 1º trimestre, que mais uma vez superou as expectativas, só reforça a visão otimista para a ação; para eles, ainda há espaço para alta, mesmo com rali de 58% desde fevereiro

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

A Intelbras (INTB3), empresa catarinense de produtos eletrônicos de segurança, reportou ontem à noite o segundo resultado após sua oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês), em fevereiro deste ano. Revertendo um prejuízo de 24,3 milhões em lucro líquido de 89,7 milhões de reais no primeiro trimestre, na comparação com o mesmo período de 2020, a companhia mais uma vez superou as expectativas, ressaltou o BTG Pactual, em relatório desta terça-feira, 11.

Saiba como aproveitar as melhores oportunidades da bolsa com a ajuda da Exame Invest Pro

A receita líquido cresceu 62% na base anual nos três primeiros meses deste ano, acima em 8% das estimativas do banco, alcançando 696,4 milhões de reais, enquanto o Ebitda atingiu 102,3 milhões, avanço de 53% e também superior às projeções.

O aumento de faturamento foi visto nas três divisões da companhia: segurança, comunicação e energia. Olhando para a área de segurança, que corresponde a um pouco mais da metade da receita total, o crescimento foi de 53%. Em comunicação, o avanço foi de 66% e em energia, 93%.

"Não ficaríamos surpresos se a Intelbras entregar em 2021 o lucro que esperamos para 2022 (de 395 milhões de reais", apontam os analistas do BTG.

Eles destacam que, anualizando o lucro do primeiro trimestre, os ganhos da companhia chegariam a 358 milhões de reais, ou 8% acima de suas estimativas para 2021 de 333 milhões de reais – isso mesmo com uma sazonalidade negativa no trimestre.

"Não é por acaso que a Intelbras é o IPO com melhor performance no ano. E o resultado de hoje reforça nossa visão positiva para a ação", comentam.

O banco tem recomendação de compra para os papéis, com preço-alvo em 28,00 reais, o que implica em um potencial de alta de 16% frente ao patamar atual.

Em pouco mais de três meses do IPO, os papéis da companhia acumulam ganhos de 57,8% na Bolsa, contra uma alta de 2,2% do Ibovespa no mesmo período. No mês, sobem 7,9%, versus um avanço de 2,5% do índice.

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame