Exame Invest
Mercados

No radar: Avanço da pandemia, ata do Copom e o que mais move os mercados

PUBLICADO EM: 23.3.21 | 7H10
ATUALIZAÇÃO: 23.3.21 | 7H57
Índices de ações na Europa caem com novos lockdowns e futuros americanos também operam em baixa
Bolsa de Valores

Europa enfrenta terceira onda da pandemia e mercados reagem (REUTERS)

Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Beatriz Quesada

Repórter de mercados, passou pelas redações da revista Capital Aberto e rádio BandNews FM | beatriz.quesada@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

Quadro geral do dia às 7h05:

  • STOXX600 (Europa): -0,45%
  • Dow Futuro (EUA): -0,42%
  • S&P Futuro (EUA): -0,42%
  • Nasdaq Futuro (EUA): -0,28%
  • Rendimento dos títulos americanos de 10 anos cai 0,042% e chega a 1,64%

As bolsas globais operam em queda nesta terça-feira, 23, com o avanço de uma terceira onda da pandemia atingindo a Europa e promovendo novos lockdowns no continente. 

O índice pan-europeu STOXX600 recua após a chanceler Angela Merkel ter anunciado a extensão do confinamento até 18 de abril e apelado aos cidadãos para que fiquem em casa durante os cinco dias de recesso da Páscoa. O número de novos casos Covid-19 na França também cresceu, mesmo com o início de um terceiro lockdown em algumas regiões do país na última sexta-feira, 19.

Nos Estados Unidos, os índices futuros de ações negociam em queda nesta manhã, em um movimento de realização após baterem recordes no pregão da véspera. O mercado americano foi favorecido ontem pelo recuo do rendimento dos títulos americanos de 10 anos -- taxa usada como medida de expectativa para a inflação nos EUA. O movimento impulsionou as ações de tecnologia, levando o índice Nasdaq a uma alta de 1,23% ontem. 

Quer mudar de carreira? Comece pelas Jornadas de Finanças e Negócios da EXAME Academy

Os ganhos nos EUA enfraqueceram os papéis de tecnologia na Ásia e mantiveram as bolsas do continente no terreno negativo nesta terça-feira, apesar da estreia da gigante chinesa de buscas Baidu no índice Hang Seng, de Hong Kong. A Baidu, que já é listada nos Estados Unidos, viu suas ações ficarem estáveis em seu primeiro pregão na bolsa asiática.

Veja abaixo os principais fatos desta terça-feira:

Ata do Copom

O Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, divulga hoje, às 8h, a ata da reunião que elevou a taxa básica de juros de 2% para 2,75% na última quarta-feira, 17. O Copom já indicou em comunicado que deve fazer um novo aumento da Selic também de 0,75 ponto percentual já no próximo encontro, em maio. Investidores devem ficar alertas a novas indicações do rumo da política econômica divulgados na ata.

Jerome Powell e Janet Yellen vão à Câmara dos EUA

Às 13h, o presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, e a secretária do Tesouro, Janet Yellen, farão sua primeira aparição conjunta perante o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Estados Unidos. O objetivo do encontro é discutir como o banco central americano e o Tesouro estão respondendo à pandemia.

Em comentários preparados publicados antes da audiência, Powell observou que a recuperação está ganhando força, antes de acrescentar que ainda há um longo caminho a percorrer. “A recuperação está longe de ser completa, então, no Fed, continuaremos a dar à economia o apoio de que ela precisa pelo tempo que for preciso”, afirmou em nota.

Indicadores da economia americana

Os Estados Unidos divulgam às 11h o número de vendas de novas casas em fevereiro -- a estimativa é de 870 mil negócios contra 923 mil vendas em janeiro. Powell sinalizou que o Fed irá observar com lupa os dados de curto prazo da economia americana, então diversas divulgações consideradas secundárias passam a entrar no radar dos investidores.

No entanto, todas as atenções estão concentradas para o resultado de amanhã, em que será divulgado o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA. A expectativa é de manutenção da alta de 4,1% divulgada anteriormente.

Pandemia afeta a bolsa

O Ibovespa recuou 1,07% na segunda-feira, 22, repercutindo o avanço descontrolado da pandemia no país somado a uma aversão a risco no exterior após a demissão do presidente do banco central da Turquia.

Por aqui, o Brasil ultrapassou ontem a marca de 12 milhões de casos de Covid-19, segundo o Ministério da Saúde. Foram 1.383 novos óbitos, o que eleva o total de vítimas fatais da doença no país a 295.425.

Confiança do consumidor 

No Brasil, a FGV divulga às 8h o índice de confiança do consumidor para março. Em fevereiro, o índice subiu 2,2 pontos, para 78 pontos, após quatro meses de perdas consecutivas.

Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Beatriz Quesada

Repórter de mercados, passou pelas redações da revista Capital Aberto e rádio BandNews FM | beatriz.quesada@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame