Exame Invest
Mercados

No radar: cautela nos EUA, oferta da Vale, IPOs e o que move os mercados

PUBLICADO EM: 12.4.21 | 7H08
ATUALIZAÇÃO: 12.4.21 | 9H15
Índices futuros americanos e bolsas europeias recuam após renovarem recordes na última semana; Petrobras realiza AGE para escolha de novos conselheiros
Bolsa fundos sacam 31 bilhões em ações

Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Beatriz Quesada

Repórter de mercados, passou pelas redações da revista Capital Aberto e rádio BandNews FM | beatriz.quesada@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

Quadro geral do dia às 7h05:

  • EUA: Dow Jones futuro recua 0,23%, S&P 500 futuro tem queda de 0,15% e Nasdaq futuro registra variação negativa de 0,09%
  • Índice pan-europeu STOXX600 tem queda de 0,24%
  • Rendimento dos títulos de 10 anos do Tesouro americano recua a 1,652%

As bolsas internacionais abrem a semana no negativo, com os índices futuros americanos e os mercados europeus operando em queda nesta segunda-feira, 12. A correção é impulsionada pelos recordes de altas da última semana com a expectativa de recuperação econômica. Agora, os investidores voltam a avaliar o risco de inflação nos Estados Unidos.

A alta da inflação é um movimento natural que acompanha o ritmo de vacinação acelerado e a enxurrada de estímulos. Existe a preocupação, no entanto, de que a elevação súbita nos preços pressione o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) a subir a taxa de juros antes do programado.

Neste domingo, o presidente do Fed Jerome Powell reiterou, em entrevista à CBS, que a inflação deve subir acima de 2% por um período prolongado antes que as autoridades aumentem a taxa de juros.

O mercado também observa as discussões sobre o pacote de infraestrutura de 2 trilhões de dólares apresentado pelo presidente Joe Biden. Nesta segunda-feira, Biden se reúne com um grupo bipartidário de congressistas para tentar convencê-los a apoiar o plano. 

Na Europa, o índice pan-europeu STOXX600 recua, assim como a maioria das bolsas do bloco, seguindo a influência negativa dos EUA. 

O dia foi também de perdas para a Ásia, com os mercados da região encerrando o dia em baixa. O destaque ficou com a Índia, que registrou quedas superiores a 3% após o aumento do número de casos de Covid-19 na região.

Por aqui, o Ibovespa encerrou o último pregão em queda de 0,54%, aos 117.669 pontos, em meio a preocupações com o cenário interno em três frentes: instauração da CPI da Covid-19, impasse sobre o Orçamento para 2021, e dados demonstrando o avanço da inflação. O índice, contudo, fechou a última semana com valorização de 2,1% graças ao impulso do mercado americano.

Para esta semana, a expectativa é de que Orçamento e CPI continuem no radar, assim como o avanço da pandemia. No pior domingo desde o início da crise, o Brasil registrou ontem 1.824 mortes por Covid-19 em 24h.

Abaixo, os principais destaques desta segunda-feira:

Vale precifica debêntures

A oferta secundária de debêntures participativas da Vale (VALE3) -- que serão vendidas pelo BNDES e pela União -- será precificada hoje, após o roadshow com investidores. Segundo o Broadcast, a demanda pelos papéis já chega a 12 bilhões de reais, mais do que os 8,5 bilhões que o BNDES tem a oferecer. A operação pode contar com uma oferta adicional de 4,3 bilhões de reais em debêntures.

Petrobras define conselho

A Petrobras (PETR3;PETR4) promove hoje assembleia geral extraordinária (AGE) para definir os novos membros do conselho de administração, na esteira da indicação de novo presidente. Os acionistas da petroleira, que incluem os representantes de minoritários e da União, se reúnem virtualmente nesta segunda-feira, 12, a partir de 15h.

A votação foi solicitada pelo governo federal quando decidiu demitir Roberto Castello Branco da presidência da empresa como consequência de desavenças entre o comandante da estatal e o presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre a política de preços de combustíveis da empresa.

No início de março, quatro dos onze integrantes do conselho escolheram deixar a companhia após a troca do então presidente Roberto Castello Branco pelo general Joaquim Luna e Silva. Os conselheiros que abandonaram os cargos foram João Cox Neto, Nivio Ziviani, Paulo Cesar de Souza e Silva e Omar Carneiro da Cunha Sobrinho.

IPOs

Seguindo o calendário de ofertas públicas iniciais de ações (IPOs), a Viveo (CM Hospitalar) define nesta segunda-feira o preço por ação de sua oferta. 

Segundo informações da Bloomberg, a Blau Farmacêutica também deve precificar sua oferta abaixo da faixa indicativa -- a definição será na quinta-feira, 15. A semana também conta com a definição de preço da rede hospitalar Mater Dei na quarta-feira, 14.

Alibaba dispara

As ações da gigante Alibaba em Hong Kong subiram 6,51% nesta segunda-feira após a empresa acatar a decisão dos reguladores chineses. As autoridades cobraram uma multa de 2,8 bilhões de dólares da companhia por práticas de monopólio.

Segundo analistas da Exame Invest Pro, a notícia pode ser interpretada como positiva. A multa anunciada pelo governo chinês, além de pequena em relação ao valor de mercado da companhia (menos de 0,5%), pode significar o fim de meses de tensão e expectativas”, avaliam em nota. 

Focus

O Banco Central divulga, às 8h25, o relatório Focus com as expectativas do mercado financeiro para indicadores como PIB, câmbio, inflação e juros. Na pesquisa da semana passada, economistas mantiveram as estimativas para o IPCA em 2021 de 4,81%.

Balanços nos EUA

A temporada de balanços do primeiro trimestre de 2021 começa esta semana nos Estados Unidos. Alguns dos maiores bancos do país, incluindo Goldman Sachs e JPMorgan Chase, irão apresentar os resultados desta semana para os três meses encerrados em 31 de março.

Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Beatriz Quesada

Repórter de mercados, passou pelas redações da revista Capital Aberto e rádio BandNews FM | beatriz.quesada@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame