No radar: Conselho da Petro, lucro da CSN, inflação e o que mais move o mercado | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

No radar: Conselho da Petro, lucro da CSN, inflação e o que mais move o mercado

PUBLICADO EM: 23.2.21 | 7H00
ATUALIZAÇÃO: 23.2.21 | 7H31
Mercado internacional estende perdas com temores sobre sinais de inflação nos EUA; após maior queda em 10 meses, bolsa local pode passar por repique de preços
Petrobras-venda-termelétricas

Petrobras: conselheiros avaliam indicação de general Joaquim Silva e Luna para a presidência da empresa

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

As principais bolsas internacionais seguem em movimento de queda nesta terça-feira, 23, estendendo as perdas do início da semana, com investidores preocupados com a inflação americana. Na véspera, a bolsa Nasdaq teve o pior desempenho em quatro meses, caindo 2,46%. 

Conheça o maior banco de investimentos da América Latina e invista com os melhores assessores

Com os rendimentos dos títulos americanos em alta, há temores de que o setor de tecnologia, formado especialmente por empresas de crescimento, seja um dos mais afetados por empréstimos mais caros. Nesta terça, as perdas se espalham para ações de empresas do setor listadas em outras bolsas, como as europeias.

No Brasil, a bolsa vem um pregão ainda mais sofrido. Com temores sobre a recente interferência do governo na Petrobras e sinalizações de que as ingerências não irão acabar tão cedo, o Ibovespa despencou 4,87% no último pregão - a maior queda desde abril de 2020

Somente as ações da Petrobras (PETR3/PETR4) caíram 21,4%. Mas o impacto também foi sentido em outras estatais, como o Banco do Brasil (BBAS3), que se desvalorizou 11,65%. Os papéis da Eletrobras (ELET3/ELET6) também chegaram a cair cerca de 10%, mas conseguiram recuperar parte das perdas ao longo da última sessão.

Após as fortes quedas, o mercado local pode retomar algum ímpeto comprador nesta terça, com parte dos investidores buscando por oportunidades. Por outro lado, o cenário externo não se mostra favorável a um repique no preço das ações brasileiras.

Petrobras

Uma possível recuperação das ações da Petrobras pode depender, hoje, do desfecho da reunião do conselho de administração da empresa, que terá como pauta obrigatória a indicação do presidente Jair Bolsonaro. 

Embora a aceitação do general Joaquim Silva e Luna para assumir a empresa possa representar alguma incerteza a menos, também será a confirmação de um nome alheio ao setor petrolífero para assumir o mais alto cargo da estatal - o que é visto com maus olhos pelo mercado.

CSN

A CSN (CSNA3) voltou a apresentar resultados fortes em seu balanço do quarto trimestre, divulgado na noite de segunda-feira, 22. No período, a empresa registrou lucro líquido de 3,897 bilhões de reais, 243,6% maior que o registrado no quarto trimestre de 2019. O bom desempenho, segundo a empresa, se deu em função da alta dos preços de commodities como aço e minério de ferro.

Balanços

Após o encerramento do pregão desta terça, será a vez do Pão de Açúcar (PCAR3) e Telefônica (VIVT4) apresentarem seus resultados do último trimestre.


Recomendado para você


Leia também

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame