Exame Invest
MERCADOS

No radar: desemprego americano, produção industrial e o que mais move o mercado

PUBLICADO EM: 5.3.21 | 7H04
ATUALIZAÇÃO: 5.3.21 | 7H59
Bolsas internacionais estendem perdas, após fala de Jerome Powell reacender temores sobre inflação

(Boston Globe via Getty Images)

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

As principais bolsas do mundo caem nesta sexta-feira, 5, estendendo as perdas da véspera, quando o discurso do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, reacendeu os temores sobre a inflação americana, elevando o rendimento dos títulos públicos no país. Assista ao programa Abertura de Mercado, da EXAME Invest Pro.

Conheça o maior banco de investimentos da América Latina e invista com os melhores assessores

No mercado local, a aprovação da PEC Emergencial gerou algum alívio sobre a preocupação fiscal, fazendo o Ibovespa subir na contramão do exterior na última sessão. Neste pregão, ainda que seja esperado um maior alinhamento com o cenário externo, investidores podem repercutir positivamente os resultados do quarto trimestre divulgados na última noite.

Desemprego americano

O evento do dia mais esperado pelo mercado será a divulgação dos dados oficiais de empregos-não agrícolas dos Estados Unidos, o payroll. Conhecido por ser considerado o principal dado da economia americana, o payroll deve revelar a criação de 182.000 postos de trabalho em fevereiro, segundo as estimativas do mercado. 

Em janeiro, a criação de empregos foi a menor desde o início da recuperação do mercado de trabalho americano, em maio, perdendo apenas para os dados de dezembro, em que houve queda do número de vagas. 

Junto com o payroll, como de costume, será divulgada a taxa de desemprego americana. A expectativa é de manutenção dos 6,3%.

A retomada dos empregos tem sido a principal preocupação do Federal Reserve. Segundo Powell, a taxa de desemprego real, que considera os desalentados que procurariam emprego com a melhora econômica, estaria em 10%. 

Em seu discurso de ontem, o presidente do Fed voltou a falar dos impactos da covid no mercado de trabalho e reafirmou seu compromisso em manter os estímulos de pé.

Produção industrial

No Brasil, o principal dado econômico ficará a cargo da produção industrial de janeiro, que deve ser divulgada pelo IBGE às 9h. A expectativa é de uma leve alta mensal de 0,4%, indicando uma desaceleração em relação a dezembro, quando houve crescimento de 0,9%. Na comparação anual, o aumento esperado é de 2,2%.

B3 tem lucro bilionário

Responsável pela bolsa brasileira, a B3 (B3SA3) registrou lucro líquido de 1,10 bilhão de reais em balanço do quarto trimestre, com o resultado impulsionado pela onda de IPOs e o bom momento do mercado no fim do ano passado. Ainda que 49,7% superior ao registrado no mesmo período de 2019, o lucro ficou levemente abaixo das expectativas de 1,13 bilhão de reais.

B2W e Lojas Americanas

Braço de vendas digitais das Lojas Americanas (LAME4), a B2W (BTOW3) conseguiu reverter seu prejuízo, apresentando lucro líquido de 15,6 milhões de reais e receita líquida de 3,33 bilhões de reais. Já as Lojas Americanas registraram lucro líquido de 404 milhões de reais, quase o mesmo do quarto trimestre de 2019. 

Outros balanços

Também divulgaram resultados na última noite, MRV (MRVE3), Iguatemi (IGTA3), Natura (NTCO3), Arezzo (ARZZ3) e Wiz (WIZS3). Para esta sexta não está prevista divulgação de balanços.

Assista ao programa Abertura de Mercado, com Luis Mollo, analista da EXAME Invest Pro:

 

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame