Exame Invest
MERCADOS

No radar: Orçamento aprovado, petróleo em alta e o que move os mercados

PUBLICADO EM: 26.3.21 | 7H09
ATUALIZAÇÃO: 26.3.21 | 7H39
Índices futuros americanos mantém tom positivo do pregão de ontem e bolsas europeias também avançam

Bolsas globais avançam seguindo o clima otimista no mercado americano

Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Beatriz Quesada

Repórter especializada na cobertura de mercados. Formada pela ECA-USP, passou pelas redações da revista Capital Aberto e rádio BandNews FM.



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

Quadro geral do dia às 7h10:

  • STOXX600 (Europa): +0,54%
  • Dow Futuro (EUA): +0,27%
  • S&P Futuro (EUA): +0,29%
  • Nasdaq Futuro (EUA): +0,36%

Esta sexta-feira, 26, começa positiva para as bolsas globais, que operam em alta impulsionadas pelo clima otimista nos Estados Unidos desde a tarde de ontem. 

Por lá, o presidente do Federal Reserve (Fed), banco central americano, anunciou que os bancos poderiam retomar as recompras e aumentar os dividendos a partir do final de junho. Originalmente, o plano era suspender essas restrições adotadas na pandemia já no primeiro trimestre. 

A medida é favorável às ações do setor bancário, que subiram e acabaram impulsionando a rotação cíclica para papéis de valor. 

Os setores cíclicos, muito conectados à commodities, também ganham força com o navio que bloqueia o Canal de Suez, no Egito. As autoridades afirmam que a embarcação de 220 mil toneladas pode levar semanas para ser retirada, o que pode pressionar os estoques mundiais de petróleo – a rota é utilizada para transporte de barris. 

Os contratos futuros de petróleo dos tipos Brent e WTI eram negociados em alta ao redor de 1% no início da manhã.

A Europa é influenciada tanto pelo clima positivo quanto pela alta do petróleo, e as principais bolsas do continente operam em alta. Durante a maior parte da semana, o mercado europeu esteve preocupado com novos 'lockdowns' e um ritmo lento de vacinação na zona euro. 

Os temores diminuíram com o clima ameno no exterior e com medidas tomadas dentro do grupo. Ontem, a União Europeia decidiu que a AstraZeneca não pode mais exportar vacinas contra covid-19 da Europa até que cumpra seus contratos com o grupo.

Para o Brasil, o bloqueio mais importante é o que vem da Índia, fornecedora das vacinas da AstraZeneca que são enviadas para cá.

Veja abaixo os principais fatos desta sexta-feira:

Orçamento 

Após mais de três meses de atraso, o Congresso aprovou na noite desta quinta-feira, 25, o Orçamento de 2021, que detalha gastos e receitas do governo previstos para este ano. Não houve alteração em relação ao texto final da Comissão Mista de Orçamento (CMO), mas o governo se comprometeu a ajustar alguns pontos depois, por crédito extraordinário.

O temor do mercado é de que os congressistas acabem furando o teto de gastos com emendas ao projeto e a pressão extra para aumento de gastos diante do agravamento da crise sanitária no Brasil.  

Quer dar um salto na carreira e no salário? Comece com a Jornada de Finanças e Negócios da EXAME Academy

Pandemia

O país bateu um novo recorde e registrou na véspera 100 mil novos casos de Covid-19. Segundo o Ministério da saúde, o Brasil registrou nesta quinta-feira, 2.777 mortes e 100.158 novos casos da doença. No total, o país tem 303.462 óbitos e 12.320.169 casos confirmados de Covid-19.

No mesmo dia, o juiz federal Rolando Valcir Spanholo permitiu a compra de vacinas por entidades privadas sem doação para o SUS. O magistrado considerou a exigência de doação uma “usurpação inconstitucional de propriedade privada”. Por se tratar de uma decisão de primeira instância, ainda pode ser revista. 

Balanços

Antes da abertura do mercado, a Ser Educação (SEER3) divulga seus resultados do 4º trimestre de 2020 – a teleconferência para discussão do balanço com investidores será às 11h30. 

A Cogna (COGN3), maior grupo educacional do Brasil, também apresentaria hoje seu balanço, mas adiou a divulgação para a próxima quarta-feira, 31, antes da abertura do mercado. Entenda o que analistas esperam para os resultados da companhia

Após o fechamento do mercado, a Cemig (CMIG4) divulga seus resultados do 4º trimestre. A teleconferência com analistas e investidores está marcada para a próxima segunda-feira, 29, às 15h.

Ontem, após o fechamento de mercado, a CPFL Energia (CPFE3) divulgou balanço com lucro líquido de 989 milhões de reais no quarto trimestre de 2020, alta de 15,5% ante mesmo período de 2019. A companhia fechou o ano completo de 2020 com ganhos de 3,70 bilhões de reais, salto de 34,9% em base anual.

Retrospectiva

Ontem, a propósito, o setor elétrico foi destaque no Ibovespa, com Equatorial (EQTL3) liderando os ganhos do índice e encerrando o dia em alta de 6,66% após o balanço surpreender o mercado. Segundo analistas, a ação ainda pode subir mais.   

Eletrobras (ELET3; ELET6) também esteve nos destaques do dia e subiu 4,55% e 3,47%, respectivamente, repercutindo a escolha de Rodrigo Limp Nascimento para ocupar o cargo de presidente da companhia

Limp é secretário de energia elétrica do Ministério de Minas e Energia e foi diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) entre maio de 2018 e março de 2020. O nome com experiência no setor público e formação acadêmica no setor elétrico foi bem recebido, mas as constantes intervenções do governo nas estatais ainda podem trazer surpresas negativas aos investidores

Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Beatriz Quesada

Repórter especializada na cobertura de mercados. Formada pela ECA-USP, passou pelas redações da revista Capital Aberto e rádio BandNews FM.


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame