Petrobras vende refinaria na Bahia por US$ 1,65 bilhão | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

Petrobras vende refinaria na Bahia por US$ 1,65 bilhão

PUBLICADO EM: 8.2.21 | 9H18
A Rlam é uma das oito refinarias que a Petrobras colocou à venda, que somam juntas cerca de metade da capacidade de produção de combustíveis do Brasil

A companhia informou ainda que encerrou processo para a venda da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, pois propostas apresentadas ficaram aquém da avaliação econômico-financeira da Petrobras

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Mubadala Capital venceu disputa pela Refinaria Landulpho Alves (Rlam), da Petrobras, na Bahia, com uma oferta de 1,65 bilhão de dólares, informou a petroleira estatal em fato relevante nesta segunda-feira, na primeira conclusão para a venda de uma refinaria anunciada pela companhia.

A assinatura do contrato de compra e venda ainda está sujeita à aprovação dos órgãos competentes, ressaltou a companhia.

A Rlam é uma das oito refinarias que a Petrobras colocou à venda, que somam juntas cerca de metade da capacidade de produção de combustíveis do Brasil.

A companhia informou ainda que encerrou processo para a venda da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, pois propostas apresentadas ficaram aquém da avaliação econômico-financeira da Petrobras. Um novo processo competitivo será aberto para essa unidade.


Recomendado para você

A Reuters havia publicado em janeiro, com informações de fontes, que a companhia havia recebido propostas pela Repar, mas que os valores estavam baixos.

Já o processo de venda das demais refinarias --Refap, Reman, Rnest, Regap, Lubnor e SIX-- continuam em andamento, disse a Petrobras.

Corte de recomendação 

Analistas do Bradesco BBI cortaram a recomendação das ações da Petrobras para 'neutra', bem como o preço-alvo para 34 reais por papel, citando riscos relacionados à situação dos caminhoneiros no Brasil. No caso dos ADRs, o preço-alvo passou para 13 dólares.

"Embora a Petrobras controle o 'timing' de seus ajustes de preço do diesel, a situação com os motoristas de caminhão nos faz acreditar que esse 'timing' poderia não estar de acordo com as expectativas dos acionistas", afirmaram Vicente Falanga e Gustavo Sadka em relatório a clientes no domingo.

Eles estimam que os preços do diesel vendido pela Petrobras devem ficar na faixa de 2,12 a 2,30 reais por litro nos próximos meses, muito perto dos níveis anteriores à greve dos caminhoneiros em 2018. Na última semana de janeiro, a companhia elevou o preço a 2,12 reais por litro.

Com o Brent em 59 dólares o barril e o spread do diesel em 10 dólares por barril, os analistas calculam que a paridade exigiria um preço ao redor de 2,47 reais. Considerando o preço atual, eles estimam que a Petrobras deixaria "na mesa" anualmente 1,7 bilhão de dólares em fluxo de caixa do acionista

Caminhoneiros têm pressionado o governo com queixas sobre os preços do diesel e outras demandas, inclusive com uma ameaça de greve neste, mês, que acabou tendo pouca adesão.

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro adicionou ruído no mercado ao prometer para a sexta-feira um anúncio sobre combustíveis, que, no final, se tratou de proposta sendo preparada pelo governo para mudar a cobrança do ICMS, imposto estadual, sobre os combustíveis.

Bolsonaro também reafirmou na sexta-feira que não interfere e que não pretende interferir na política de preços da Petrobras, declaração que foi endossada pelo presidente-executivo da petrolífera de controle estatal, o que repercutiu positivamente na ações.

Os papéis, porém, perderam fôlego após a Reuters noticiar que a empresa ampliou de três meses para um ano o prazo em que calcula a paridade internacional de preços dos combustíveis, informação que foi confirmada pela companhia após o fechamento do mercado.

Na sexta-feira, Petrobras PN chegou a recuar 1,7% no pior momento, depois de avançar 4,4% na máxima do dia. Fecharam em alta de 0,69%.

"Também tememos que esta situação desconfortável possa atrasar o processo de venda das refinarias e, portanto, dividendos futuros que são fundamentais para os investidores", acrescentaram os analistas do Bradesco BBI.

Nesse sentido, a Petrobras informou mais cedo nesta segunda-feira que o Mubadala Capital foi o vencedor no processo competitivo para a venda de sua Refinaria Landulpho Alves (Rlam), na Bahia, com uma oferta de 1,65 bilhão de dólares.

Além do 'downgrade', Falanga e Sadka também reduziram a estimativa para lucro da companhia em 2021 em 8% e os dividendos em 2022 em cerca de 400 milhões de dólares (ao redor de 6%).


Leia também

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame