Exame Invest
Mercados

Petróleo, Oi, Vale, Americanas, Desktop e o que mais move o mercado

PUBLICADO EM: 19.7.21 | 7H08
ATUALIZAÇÃO: 19.7.21 | 7H43
Índices de ações caem em meio à aversão ao risco; investidores buscam proteção em dólar e em títulos americanos
Lojas Americanas

Lojas Americanas: ações da B2W mudam de código para AMER3 e passam a representar também as operações físicas das Lojas Americanas Foto: Exame (SEM AGENCIA OU FONTE)

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Os mercados internacionais iniciaram a semana em tom de aversão ao risco, com as principais bolsas do mundo em queda nesta segunda-feira, 19, e o dólar em alta. No radar dos investidores, seguem as preocupações sobre os efeitos econômicos da variante Delta do coronavírus, que tem feito países retomarem medidas para conter a disseminação do vírus. 

Em semana cheia de resultados do segundo trimestre no mercado americano, o Dow Jones futuro recua cerca de 1%, com o S&P 500 caindo 0,7% e o Nasdaq, 0,5%. Já o rendimento dos títulos americanos de 10 anos (inversamente proporcional à demanda) cai cerca de 3%, em meio à busca por ativos defensivos. 

Petróleo

O ambiente negativo somado ao acordo entre membros da OPEP para aumento da produção de petróleo derruba o preço da commodity em mais de 2% nesta manhã. Em relação ao início da semana passada, o petróleo brent já acumula perda superior a 4%.

A desvalorização do petróleo pressiona ações do setor, com os papéis da Shell, caindo mais de 2% em Londres, assim como os da ExxonMobil e da Chevron no pré-mercado americano. Por lá, as ADRs da Petrobras (PETR3/PETR4) recuam mais de 2,5%, sinalizando a papéis da empresa deve ter um peso negativo sobre o Ibovespa nesta segunda.

Vale

Outra gigante do Ibovespa, a Vale (VALE3) irá apresentar sua prévia operacional do segundo trimestre após o encerramento do pregão desta segunda. A divulgação deve ajudar o mercado a balizar as expectativas para o balanço da empresa, que será apresentado no próximo dia 28, na semana que vem. 

AMER3

Uma das principais empresas do varejo nacional, a B2W passará a ser negociada sob o código AMER3 nesta segunda, em mais uma fase de sua fusão com as Lojas Americanas (LAME3/LAME4). Na sexta-feira, 16, véspera da mudança, as ações da empresa lideraram as altas do Ibovespa, subindo 4,13%. 

A partir de hoje, as ações AMER3 passam a representar não só as operações digitais das Lojas Americanas, mas também as físicas. Já as ações LAME3 e LAME4 representarão a holding das Lojas Americanas, tornando-se apenas um veículo de investimento.

Oi

Uma das empresas com o maior número de acionistas da bolsa, a Oi (OIBR3/OIBR4) deve apresentar nesta segunda seu plano estratégico para o triênio de 2022 a 2024. Segundo a Bloomberg, a empresa estaria avaliando possíveis captações para conseguir refinanciar sua a primeira emissão de debêntures da Oi Móvel. 

Desktop 

A empresa de banda larga Desktop deve precificar sua oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) nesta segunda. Com faixa indicativa entre 23 e 28 reais, a empresa pode levantar até 850 milhões de reais, considerando o topo da faixa. Sua estreia na B3 está prevista para quarta-feira, 21, sob o código DESK3.

Tegma e JSL

O Conselho Administrativo da Tegma (TGMA3) rejeitou por unanimidade a proposta de fusão da JSL (JSLG3). A possível operação era vista como positiva pelo mercado, com os papéis de ambas as empresas chegando a disparar após a divulgação da proposta, no início do mês. Apesar de ter sido bem encarada por investidores, os termos postos na mesa eram considerados mais vantajosos para a JSL do que para a Tegma, tendo em vista os valores apresentados.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame