MERCADOS

PIB da Europa, CPI da Covid, minério de ferro e o que mais move o mercado

PUBLICADO EM: 18.5.21 | 7H03
ATUALIZAÇÃO: 18.5.21 | 8H17
Bolsas internacionais se recuperam de perdas do início da semana; ADRs da Vale sobem com nova valorização de commodity
Ernesto Araújo

Ernesto Araújo

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

O mercado internacional ensaia um dia positivo nesta manhã de terça-feira, 18, com os principais índices de ações subindo, após iniciarem a semana em baixa. Dão o tom positivo às bolsas globais sinais de leve recuperação da economia europeia e, principalmente, a queda do rendimento dos títulos americanos de 10 anos - convencionado como o principal indicador das expectativas sobre a inflação americana.

Nos Estados Unidos, os três maiores índices sobem, com destaque para o Composto de Nasdaq, que tem o melhor desempenho, avançando 0,7%. Na última sessão, o "índice de tecnologia" teve a pior performance do mercado americano, com os temores sobre a alta da inflação no país levando investidores a se desfazerem de ações de empresas com teses de crescimento.

Na Europa, o Stoxx 50 sobe pouco mais de 0,3%, após o PIB do primeiro trimestre da Zona do Euro ser revisado sem alterações. No período, marcado pela terceira onda de coronavírus no continente, o bloco teve contração de 0,8% em relação ao trimestre anterior e de 1,8% na comparação anual.

Minério de ferro

No mercado local, as ações da Vale (VALE3) e de siderúrgicas devem voltar a apresentar bom desempenho nesta sessão, após o minério de ferro subir 5% na bolsa de Dalian nesta madrugada. A alta, segundo a Reuters, foi impulsionada pela forte demanda de usinas chinesas, que têm apresentado lucros robustos. Por lá, o contrato de minério de ferro mais negociado fechou a 195,26 dólares.

O elevado patamar de preço do minério de ferro tem sido um dos principais motores para o Ibovespa, tendo em vista a grande participação da mineração e siderurgia no índice. Na última sessão, as ações do setor voltaram a ter forte desempenho, contribuindo para que o Ibovespa andasse na contramão do cenário internacional e fechasse em alta de 0,87%. Com o maior peso entre os mais de 80 componentes do índice, a Vale subiu 2,62% na véspera. Nesta manhã, suas ADRs avançam mais 1,7% no pré-mercado americano.

CPI da Covid

Em Brasília, a CPI da Covid irá ouvir o ex-chanceler Ernesto Araújo. Uma das  peças mais polêmicas do governo de Jair Bolsonaro, Araújo deverá ser questionado sobre a relação com a China e se tentou sabotar as negociações para compra de vacinas do país asiático. Durante seu tempo à frente do Ministério das Relações Exteriores, Araújo foi um fiel seguidor da linha trumpista, chegando a se referir ao coronavírus como “comunavírus”, em uma alusão ao sistema de governo da China, onde surgiram os primeiros casos da doença.

Embora seja uma caixinha de surpresas e tenha rendido momentos vexatórios, a CPI tem passado praticamente despercebida pelo mercado. A tendência é que assim continue, ao menos até surgir alguma ameaça concreta ao governo. 

Balanços

Sem balanços previstos para serem divulgados nesta terça, investidores devem repercutir os resultados apresentados na última noite pela Mosaico (MOSI3), Cruzeiro do Sul (CSED3), Focus (POWE3), Gafisa (GFSA3) e Linx (LINX3).

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame