Exame Invest
Mercados

Por que o dólar cai se o dia é de aversão ao risco nas bolsas?

PUBLICADO EM: 11.5.21 | 9H09
ATUALIZAÇÃO: 11.5.21 | 9H19
Em Abertura de Mercado, Bruno Lima diz que desvalorização da moeda americana no exterior sinaliza mais um reajuste de carteiras de ações; "não tem grande percepção negativa"
Cédulas de 20 dólares

(Getty Images)

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 1MIN

As principais bolsas do mundo caem nesta terça-feira, 11, motivada por temores sobre inflação americana. Apesar da aversão ao risco, investidores tem evitado buscar proteção em dólar, que recua frente às principais moedas desenvolvidas e emergentes.

Nesta manhã, o índice Dxy, que mede o desempenho da divisa americana contra seus pares, cai 0,13%, enquanto o peso mexicano, o rublo russo e a rúpia indiana se valorizam frente ao dólar.

"Normalmente, nesses dias, vemos o dólar ganhar valor. Mas estamos vendo o contrário. As moedas emergentes estão ganhando valor", disse Bruno Lima, analista-chefe da Exame Invest Pro na Abertura de Mercado.

"A impressão que dá é que o mercado está fazendo esse ajuste muito mais em ações por uma questão de redução de risco, mas não tem nenhuma correria ou grande percepção negativa", afirmou.

No Brasil, o dólar apresenta leve queda nos primeiros negócios do dia, acompanhando o cenário internacional. Nesta terça, deputados retomam o andamento da CPI da Covid, mas, segundo Jefferson Laatus, a comissão deve haver pouco ou nenhum impacto no dólar.

"O investidor estrangeiro acaba se acostumando com as 'cortinas de fumaça e acaba olhando para o copo meio cheio. Entre olhar para a CPI da Covid e olhar para as possíveis reformas, o mercado vai olhar para as possíveis reformas, sabendo que [ruídos políticos] acontecem e sempre aconteceram", comentou na Abertura de Mercado.

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame