Exame Invest
Mercados

Reserva do IPO da GetNinjas termina hoje; vale a pena investir?

PUBLICADO EM: 11.5.21 | 7H30
ATUALIZAÇÃO: 11.5.21 | 7H52
A companhia pode movimentar até 950 milhões de reais com o IPO, considerando o preço médio da faixa indicativa e todas as ações, incluindo lotes adicional e suplementar; a estreia na B3 está prevista para a próxima sexta-feira
NOTAS 250

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

A GetNinjas, plataforma online que conecta profissionais de variadas áreas a potenciais clientes, tem estreia prevista na B3 na próxima sexta-feira, 14, com o código NINJ3. Hoje, acaba o período de reserva para investidores de varejo aderirem à oferta. 

A empresa planeja emitir 16.064.258 ações na oferta primária e 8.037.731 ações na secundária. Essa quantidade pode ser acrescida em até 4.822.638 papéis em um lote adicional e 3.616.979 papéis no suplementar. 

Saiba como aproveitar as melhores oportunidades da bolsa com a ajuda da Exame Invest Pro

A precificação da oferta ocorre na quinta-feira, 13. A faixa indicativa de preço vai de 24,90 a 33,50 reais por ação. Os papéis serão listados no Novo Mercado, o nível mais alto de governança corporativa da B3. 

Considerando todas as ações e o preço médio da faixa indicativa (29,20 reais), a companhia pode movimentar até 950 milhões de reais com a oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês), sendo cerca de 460 milhões de reais com a oferta primária (quando os recursos vão para o caixa da empresa). 

No prospecto preliminar, a companhia disse que pretende utilizar os recursos da oferta primária para investir em marketing, recursos humanos e reforçar o caixa. 

As gestoras Verde, Miles Capital e Indie Capital vão ancorar o IPO. Juntas, elas podem investir 175 milhões de reais na oferta, caso os papéis sejam fixados no piso da faixa, em 24,90 reais. Nessas condições, Verde e Miles alocarão, cada, 70 milhões de reais e a Indie, 35 milhões de reais. 

Os bancos BTG Pactual, JPMorgan, UBS e Bradesco BBI são responsáveis por coordenar a oferta. 

Para participar da oferta, o investidor de varejo precisa reservar as ações da GetNinjas até hoje. Para isso, é necessário informar à corretora quantas ações deseja comprar e por qual preço. O valor mínimo para participar é de 3 mil reais e o máximo, 1 milhão de reais. 

Vale a pena entrar no IPO? 

Embora apontem que a empresa está inserida em um mercado endereçável bastante significativo, as casas de análise Eleven Financial e Suno Research não recomendam a oferta. A justificativa principal de ambas é o preço, que parece esticado demais. 

Os analistas Eric Huang, Alexandre Kogake e Flávia Ozawa, que assinam o relatório da Eleven, comentam que, se de um lado a empresa conta com um vasto mercado para explorar (as vendas brutas totais – ou GMV, na sigla em inglês – da GetNinjas correspondem a cerca de 0,1% do mercado de serviços do Brasil. Em mercados desenvolvidos, como os Estados Unidos, esse mercado de serviços para casa já conta com penetração próxima de 20%). De outro, tem como desafio manter o mesmo grau de eficiência na conversão de chamados de clientes e atendimentos de fato realizados. 

Do total dos clientes da GetNinjas em dezembro de 2020, cerca de metade realizaram sua primeira interação na plataforma naquele mês, e apenas 16% haviam realizado mais de cinco solicitações. 

Portanto, apesar de avaliarem o modelo de negócios como interessante, Huang, Kogake e Ozawa ressaltam que “a faixa de preços testada no IPO leva em consideração uma aceleração significativa dos patamares de crescimento”, algo que, para eles, implica em um maior risco de execução e uma relação risco-retorno não atraente. “Isso vai exigir um equilíbrio entre oferta e adição de prestadores, algo que com uma aceleração expressiva pode ser desafiador”, escrevem. 

No mesmo sentido, os analistas Rodrigo Wainberg e João Daronco, que assinam o relatório da Suno, apontam que, apesar de enxergarem muito valor na empresa, que conta com um mercado endereçável enorme, eles acreditam também que há muitas dúvidas em relação à concorrência e um grande risco de implementação. Para eles, o preço da oferta não é convidado, dadas as incertezas da tese.

Um bom ponto de entrada, indicam Wainberg e Daronco, seria o preço de aproximadamente 14,15 reais, que foi o valor pago por ação pela Fosthall Holdings em um aporte de capital realizado na GetNinjas em janeiro de 2021, no montante total de 38,8 milhões de reais. Um mês depois, em fevereiro, a GetNinjas protocolou seu pedido de IPO.

No entanto, como o ponto médio da faixa indicativa da oferta agora está em 29,20 reais por ação, ou seja, muito superior ao preço do aporte mencionado acima, os analistas optaram por ficar de fora da oferta.

"Tendo em vista que existem negócios listados que são fortes geradores de caixa e com histórico muito mais extenso, optamos por não recomendar a adesão ao IPO", comentam.

Sobre a empresa

Fundada em 2011 por Eduardo Orlando L´Hotellier, a companhia possuía cerca de 2,1 milhões de profissionais cadastrados ao fim de dezembro de 2020 em mais de 3.800 cidades, abrangendo aproximadamente 70% dos municípios do país. O custo de uma oportunidade, lead, para os profissionais cadastrados na plataforma custa em média 14,20 reais.

No ano passado, foram mais de 4 milhões de solicitações de serviços, contra 2,2 milhões em 2018 e 2,8 milhões em 2019. A GetNinjas transacionou 963 milhões de reais em serviços em 2020, crescimento de 55% frente ao ano anterior, enquanto viu sua receita crescer 64%, para 46,7 milhões de reais, na mesma base de comparação.

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame