Exame Invest
Mercados

Retomada das techs, Eletromídia compra NoAlvo e o que mais move o mercado

PUBLICADO EM: 5.10.21 | 7H08
ATUALIZAÇÃO: 5.10.21 | 7H40
Bolsas internacionais se recuperam de últimas perdas, enquanto investidores monitoram dados de inflação e crescimento

Tela de anúncios da Eletromidia em shoping | Foto: empresa adquire a NoAlvo

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

As bolsas ocidentais iniciam esta terça-feira, 5, em alta, se recuperando das perdas do início da semana, provocadas por temores sobre uma possível estagflação da economia global. Nesta madrugada, preocupações sobre um cenário de inflação sem crescimento econômico abalaram as bolsas da Ásia, com o índice sul-coreano Kospi fechando em queda de 1,89% e o japonês Nikkei 225 recuando 2,19%.

Nos Estados Unidos, o índice Nasdaq, com maior peso de empresas de tecnologia, tem o melhor desempenho do mercado de futuros, subindo pouco mais de 0,6%, enquanto o Dow Jones e o S&P 500 avançam menos de 0,5%. Na véspera, ações do setor - mais dependentes de políticas de estímulo - foram as que mais sofreram com o risco de aperto monetário mais intenso no país. 

Apesar do cenário mais ameno nas bolsas, investidores seguem atentos aos dados de inflação e crescimento econômico. Divulgados nesta madrugada, os índices de gerente de compras (PMIs, na sigla em inglês) surpreenderam positivamente em praticamente toda a Europa. 

Por lá, a alta de preços ao produtor (IPP) ainda se mostrou mais baixa do que a esperada, subindo apenas 1,1% em agosto contra estimativa de 1,3% de alta. Na comparação anual, contudo, o IPP segue preocupante, a 13,4%. Se recuperando das perdas e refletindo os dados melhores do que os esperados, as bolsas europeias sobem nesta manhã, com o Stoxx 600 avançando 0,73%. 

Petróleo na alturas

Por outro lado, um dos motivos da inflação, a valorização das commodities persiste. Após ter superado os 81 dólares por barril pela primeira vez desde 2018, o petróleo brent segue em alta, subindo mais 0,36%, após o aumento de produção acordado pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e Aliados (OPEP+) não ter alterado a perspectiva de traders sobre esse mercado. 

A alta do petróleo, porém, tende a beneficiar as ações das petrolíferas brasileiras. Na última sessão, a despeito das fortes perdas na bolsa, os papéis da Petrobras (PETR3/PETR4) lideraram as altas do Ibovespa, com mais de 2% de valorização. 

Dados do dia

No Brasil, investidores ainda aguardam a divulgação da produção industrial de agosto, prevista para às 9h. A expectativa é de uma queda mensal de 0,3% da atividade ante perdas de 1,3% no mês anterior. Às 10h irá sair o PMI do setor de serviços do país. 

Nos Estados Unidos, os PMIs saem às 10h45, enquanto o ISM, do Institute for Supply Management, será divulgado às 11h. Mas a maior expectativa de investidores americanos está guardada para sexta-feira, 8, quando sairão os dados oficiais sobre o mercado de trabalho americano. Na quarta-feira, 6, será a vez do ADP, prévia do relatório oficial de empregos não agrícolas, previsto para o fim da semana.

No alvo da Eletromidia

A Eletromidia (ELMD3) concluiu a aquisição de 100% da empresa NoAlvo, também focada no setor de mídia “out-of-home”. Provedora de plataforma de planejamento de campanha, a NoAlvo “cruza dados geolocalizados de dispositivos móveis com os pontos físicos para determinar os  endereços para se anunciar considerando um determinado público-alvo”. 

“A chegada da NoAlvo é complementar ao ecossistema da Eletromidia e representa mais um movimento na execução da tese de crescimento de longo prazo”, afirma a empresa em comunicado ao mercado. 

Oi dá adeus a imóvel 

O Conselho de Administração da Oi (OIBR3/OIBR4) aprovou por unanimidade a venda de imóvel localizado em Brasília, com terreno de 152.000 m² e área construída de 34.645 m² por 100 milhões de reais.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame