Exame Invest
Mercados

Tesouro descarta emitir títulos em reais no exterior em 2011

PUBLICADO EM: 28.11.11 | 8H32
A taxa de retorno aos investidores para o Global BRL com vencimento em 2028 está em 8,792% ao ano, no mercado secundário
Notas de real sobre cenário nacional

O rendimento é inferior aos 8,85% pagos pelo Tesouro na última emissão desse papel, em outubro de 2010

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 1MIN

Brasília - O Tesouro descarta a emissão internacional de títulos da dívida pública denominados em reais em 2011, disse o subsecretário do Tesouro, Paulo Valle, em entrevista por telefone, de Brasília.

“O mercado está volátil e o Tesouro já está com todas as suas metas deste ano cumpridas. Vamos continuar acompanhando”, disse Valle na sexta-feira.

A taxa de retorno aos investidores para o Global BRL com vencimento em 2028 está em 8,792 por cento ao ano, no mercado secundário. O rendimento é inferior aos 8,85 por cento pagos pelo Tesouro na última emissão desse papel, em outubro de 2010.

Valle disse que o Tesouro vai continuar com sua estratégia de resgates líquidos das Letras Financeiras do Tesouro, LFT, título vinculado à taxa de juros Selic.

“Vamos manter apenas um leilão por mês, rolando menos de 100 por cento da maturação das LFT”, disse ele.

Em entrevista à Bloomberg em 31 de outubro, Valle disse que o Tesouro considera factível reduzir a participação das LFTs, papéis corrigidos pela Selic, para menos de 20 por cento do total da dívida até o fim do mandato da Presidente Dilma Rousseff em 2014. Esse tipo de papel respondia, em outubro por 32 por cento da dívida pública federal de R$ 1,81 trilhão.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame