Vale sobe após balanço; Credit diz que ação ainda é "muito atrativa para ser ignorada" | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

Vale sobe após balanço; Credit diz que ação ainda é "muito atrativa para ser ignorada"

PUBLICADO EM: 26.2.21 | 10H41
ATUALIZAÇÃO: 26.2.21 | 10H54
Mineradora reverteu prejuízo em lucro de 739 milhões de dólares no 4º trimestre e aprovou pagamento de dividendos de R$ 4,26 por ação
Vale

(REUTERS)

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

As ações da Vale (VALE3; VALE5) operam em alta de 0,59% nesta sexta-feira, 26, após reportar resultado do acima do esperado pelo mercado e anunciar pagamento de dividendos 4,26 reais por ação referente ao desempenho da mineradora no segundo semestre de 2020.

Quer investir nas melhores pagadoras de dividendos da bolsa? Tenha acesso às recomendações dos especialistas da Exame Invest Pro

Ontem à noite, a mineradora divulgou seu balanço com lucro de 739 milhões de dólares no quarto trimestre do ano passado, revertendo um prejuízo de 1,56 bilhão no mesmo período de 2019.

Juntamente, informou o pagamento dos dividendos, que será realizado no dia 15 de março para investidores que estiverem na base acionária da companhia no dia 4 de março. Os papéis passam a ser negociados "ex-proventos" dia 5 de março.

Em relatório, os analistas do Credit Suisse destacaram que a companhia divulgou um forte resultado, com o Ebitda ajustado proforma (que exclui as despesas relacionadas a Brumadinho e as doações relacionadas à pandemia de covid) atingindo 9,1 bilhões de dólares no período, acima do consenso do mercado e 7% superior às projeções do banco. O número também mostrou um crescimento de 46% em relação ao visto no terceiro trimestre do ano passado e de 95% frente ao registrado no quarto trimestre de 2019.

"No geral, os números melhoraram significativamente em uma base sequencial, principalmente em função de embarques mais fortes de minério de ferro (crescimento de 22% na comparação com o trimestre anterior), preços de minério de ferro realizados mais altos (em 15%), assim como os preços de níquel e cobre mais elevados (em 11% e 14%, respectivamente)", comentaram.

Os analistas do banco reforçaram que seguem com recomendação outperform, equivalente a compra, para os ADRs (American Depositary Receipts) da Vale, citando que as ações estão sendo negociadas com um "desconto excessivo" em Bolsa, enquanto as perspectivas de retorno pela frente são atraentes. O preço-alvo é de 26,00 dólares, o que implica um potencial de valorização de 49% frente ao fechamento de ontem.

"Vemos a Vale registrando um forte retorno de fluxo de caixa livre de 18% a 22% em 2021 e 2022 e um dividend yield (dividendos sobre o preço da ação) de pelo menos 10% este ano", comentaram.

Além disso, acrescentaram, que, com o acordo com as autoridades de Minas Gerais sobre Brumadinho tendo sido alcançado, acreditam que a reclassificação da ação pelo mercado deve acelerar.

"Em última análise, acreditamos que o valuation da Vale ainda é muito atrativo para os investidores ignorarem, além de vermos fortes rendimentos de dividendos, aumento nos embarques, custos mais baixos à frente e o acordo com as autoridades que vai gerar uma reclassificação das ações".


Recomendado para você


Leia também

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame