Exame Invest
Mercados

Vale pode ser afetada com produção menor de aço na China

PUBLICADO EM: 18.8.21 | 9H57
Minério de ferro cai após alerta da mineradora BHP aumentar pressão sobre commodity
Minério de ferro: os futuros do minério caíram nesta terça-feira, um dia após registrarem o maior recuo para um único dia em quase 10 meses

Indústria siderúrgica da China está sob pressão depois de prometer reduzir a produção de aço | Foto: Beawiharta/ Reuters

Imagem da Editoria Exame Invest
Bloomberg



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

O minério de ferro ampliou as perdas com um alerta da mineradora australiana BHP, que vê probabilidade crescente de “cortes severos” da produção de aço da China este ano. A medida pode ter impacto na produção da Vale (VALE3), maior mineradora do mundo.

A perspectiva de produção de aço muito menor no segundo semestre “testa a resolução altista dos mercados futuros”, escreveu a BHP em relatório sobre o cenário das commodities no site da empresa. O minério de ferro negociado em Singapura acumula queda de cerca de 30% desde a máxima em maio.

A indústria siderúrgica da China está sob pressão depois de prometer reduzir a produção este ano, uma meta que exige enormes cortes no segundo semestre para compensar a expansão da oferta no início de 2021. A produção em julho caiu mais de 8% na comparação anual, segundo dados divulgados na segunda-feira.

Os contratos futuros em Singapura caíam 3,5%, para US$ 152,7 a tonelada às 15h36 no horário local, e caminham para uma quinta baixa semanal. Na China, os futuros perderam 2,5%, fechando no menor nível desde novembro.

Embora a atenção dos investidores esteja muito focada nas restrições à produção da China no segundo semestre, as tendências de demanda do país também serão importantes. O governo de Pequim está promovendo uma série de medidas para controlar o setor imobiliário, que responde por grande parte do uso de aço e tradicionalmente tem ajudado a impulsionar os preços do minério de ferro.

“As autoridades estão claramente preocupadas com o excesso de investimento e o risco de crédito concentrado no setor imobiliário”, escreveu o Commonwealth Bank of Australia em nota por e-mail. E, mesmo que a China adote políticas mais pró-crescimento para combater a recente desaceleração, “há uma boa chance de que o setor imobiliário seja deixado de fora”.

Os futuros do aço em Xangai também tiveram uma sessão de perdas, com a bobina laminada a quente em baixa de 3,3% e o vergalhão com queda de 3,8%.

Imagem da Editoria Exame Invest
Bloomberg


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame