'Venda moedas de países emergentes (como o Brasil)', diz JPMorgan | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

'Venda moedas de países emergentes (como o Brasil)', diz JPMorgan

PUBLICADO EM: 13.4.21 | 10H06
Banco americano cita riscos com a covid e diz que mercados em desenvolvimento podem ter período prolongado de crescimento abaixo dos desenvolvidos
Esplanada do ministérios em Brasília

Esplanada dos Ministérios em Brasília: cenário adverso para países emergentes, segundo bancos americanos (REUTERS)

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 1MIN

A maré virou para os mercados emergentes. O banco americano JPMorgan divulgou relatório nesta terça-feira, 13, em que recomenda a investidores que se desfaçam de posições em moedas de emergentes como o real.

A recomendação "underweight" (abaixo da média de mercado) contrasta com o otimismo demonstrado por grandes bancos de investimento na virada de 2020 para 2021, quando emergentes eram indicados em um contexto de volta do apetite a risco por parte dos investidores.

Mas o quadro mudou rapidamente. O aumento dos juros futuros americanos, riscos crescentes em países como Turquia e Brasil, e o avanço mais acelerado da vacinação no mundo desenvolvido, em especial nos Estados Unidos, alteraram as perspectivas de risco e retorno para os investidores, segundo o relatório do JPMorgan.

Por outro lado, países em desenvolvimento como o Brasil sofrem justamente com um ritmo mais lento de vacinação e com o agravamento da pandemia. Analistas citam a probabilidade de que essas economias tenham um crescimento abaixo dos países ricos por um período prolongado.

O real era até a semana passada a terceira moeda emergente com maior desvalorização em relação ao dólar, atrás apenas do peso argentino e da lira turca. A moeda americana encerrou a segunda-feira negociada a 5,72 reais.

O JPMorgan não está sozinho nesse diagnóstico de que as perspectivas estão mais sombrias para emergentes. Nas últimas semanas, o Citi e o Morgan Stanley também divulgaram relatórios com teor semelhante.


Recomendado para você


Leia também

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame