MERCADOS

Weg dispara 7% e renova máxima histórica; Vale e siderúrgicas sobem com minério

PUBLICADO EM: 18.1.21 | 10H32
ATUALIZAÇÃO: 18.1.21 | 18H29
Confira os principais destaques de ações desta segunda-feira
Produção; WEG; Motores; Jaragua do Sul/SC, Transformador

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

O Ibovespa teve alta de 0,74% nesta segunda-feira com início das campanhas de vacinação no Brasil. Entre as principais contribuições positivas em pontos para o índice, apareceram as ações de Weg (WEGE3), Vale (VALE3), que subiu na esteira do minério, e Natura (NTCO3). Do outro lado, os bancos, com Banco do Brasil (BBAS3) e Itaú (ITUB4), e a empresa de energia elétrica Equatorial (EQTL3) puxaram as perdas.

Conheça o maior banco de investimentos da América Latina e invista com os melhores assessores

Em variação, a Weg também liderou os ganhos do índice, com valorização de 7,02%. Com o movimento, as ações da companhia renovaram sua máxima histórica de fechamento na Bolsa, encerrando a sessão em 92,21 reais. Em 2020, os papéis da empresa conquistaram o posto de segunda maior alta do Ibovespa, com ganhos de 120%, atrás apenas da CSN, que avançou 126%. Em 2021, acumulam até agora valorização de 21,74%, contra alta de 1,84% do benchmark da bolsa brasileira.

Já as ações de aéreas e ligadas ao setor de turismo, que chegaram a subir até 6% mais cedo, amenizaram os ganhos, mas ainda registraram valorização superior a 1% impulsionadas pelas notícias sobre vacinas. Os papéis da CVC Brasil (CVCB3), Azul (AZUL4), Gol (GOLL4) avançaram 1,56%, 1,82% e 1,02%, respectivamente.

Confira outros destaques de ações desta sessão:

Carrefour

As ações do Carrefour Brasil (CRFB3) caíram 1,43% após a canadense Couche-Tard anunciar que as discussões preliminares para uma transação com o grupo francês serão "descontinuadas, em virtude de eventos recentes". Na mínima do dia, atingiram queda de 4,2%. Na Bolsa de Paris, as ações do Carrefour recuaram 6,92%.

A desistência ocorre depois de críticas do governo francês à operação. Na última quarta-feira, em entrevista à TV France 5, o ministro das Finanças do país, Bruno Le Maire, disse que o governo era contra a operação, argumentando que poderia colocar em risco empregos e a cadeia de abastecimento francesa.

Vale e siderúrgicas

As ações da Vale (VALE3) apareceram entre as maiores contribuições positivas para o desempenho do Ibovespa, com a alta do minério de ferro. Os papéis da companhia subiram 0,81%. As siderúrgicas também avançaram. CSN (CSNA3), Usiminas (USIM5), Gerdau (GGBR4) e Metalúrgica Gerdau (GOUA4) tiveram ganhos de 1,98%, 0,27%, 1,42% e 0,76%, respectivamente.

O minério de ferro negociado no porto chinês de Qingdao subiu 0,22% nesta sessão, indo para 174,07 dólares a tonelada.

Movida

Fora do Ibovespa, as ações da Movida (MOVI3) subiram 5,74% após anunciar, nesta segunda, a compra da gestora de frotas Vox por 89 milhões de reais. O valor será pago em dinheiro, sendo metade à vista e a outra metade no primeiro aniversário da transação. O montante é baseado no valor contábil da frota da Vox verificado na data de fechamento, acrescido de um prêmio de 12,5%, informou a Movida em fato relevante.

Os analistas do Bradesco BBI comentaram que esperavam por uma reação positiva para as ações da Movida. Eles comentam que, embora a dívida líquida de Movida deva crescer para 3,3 bilhões de reais este ano, a alavancagem financeira deve continuar estável em 2,8 vezes dívida líquida sobre Ebitda, evidenciando que a companhia pode acelerar seu crescimento orgânico em 2021 e anunciar novas aquisições em gestão de frotas. Adicionalmente, comentam que o tamanho da frota de Movida aumenta com a operação de 118.300 veículos em dezembro de 2020 para 120.100 veículos, contra 156.300 de Unidas e 268.100 de Localiza. Eles mantêm recomendação outperform, equivalente a compra, para as ações, com preço-alvo em 30 reais, o que implica um potencial de valorização de 47% frente ao fechamento de sexta-feira.

O BTG comentou que, embora pequena, vê a aquisição como altamente geradora de valor e reforçaram leitura positiva para as ações de Movida. Por ser um negócio pequeno, eles apontam ainda que não deve ter restrições das autoridades antitruste do país, o que possibilita à Movida uma via de crescimento interessante em um momento de escassez de oferta de veículos no país. Eles reforçaram recomendação de compra para os papéis, com preço-alvo em 25 reais, dando um potencial de alta de 22%.

A Movida aparece entre as nove ações mais recomendadas por bancos e corretoras para 2021, segundo levantamento da revista EXAME.

Nesta sessão, as ações de Unidas (LCAM3) e Localiza (RENT3) sobem 0,28% e 0,41%, respectivamente. Na sexta-feira, os papéis das duas companhias caíram 5,94% e 4,36% após notícia de que o Cade pode barrar a fusão entre as duas empresas por preocupações com a concorrência desleal, segundo informações da Bloomberg.

Rede D'Or

O BTG Pactual iniciou nesta segunda-feira cobertura de Rede D'Or (RDOR3), elegendo a ação como sua favorita no setor de saúde. A recomendação é de compra, com preço-alvo em 85,00 reais, o que implica um potencial de valorização de 25% frente ao fechamento da última sexta-feira. Nesta sessão, esses papéis fecharam em leve baixa de 0,22%.

Segundo os analistas Samuel Alves e Yan Cesquim, do banco, a companhia pode se aproveitar de uma boa janela de consolidação, especialmente com a liquidez obtida após a oferta inicial, que agregou mais de 8,4 bilhões ao caixa da empresa. Desde seu IPO, no começo de dezembro do ano passado, as ações da companhia acumulam valorização de 17% na Bolsa.

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame