Exame Invest
Mercados

A poderosa Dafiti, o veto dos salários: o que você precisa saber hoje

PUBLICADO EM: 20.8.20 | 18H28
ATUALIZAÇÃO: 20.8.20 | 18H36
Resumo do dia: confira as principais notícias que mexeram com os mercados, o Brasil e o mundo nesta quinta-feira 20 de agosto
Loja da Dafiti, a primeira da varejista online, aberta em São Paulo

Imagem da Editoria Exame Invest
Matheus Doliveira

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 5MIN

MERCADOS

Ibovespa recupera 100 mil pontos

A bolsa brasileira fechou em alta nesta quinta-feira com a expectativa de que a Câmara dos Deputados mantenha o veto presidencial que impede o reajuste salarial de servidores. No início do pregão, o Ibovespa, principal índice da B3, caiu para baixo de 100.000 pontos, refletindo a queda do veto no Senado. O índice só foi entrar no campo positivo, após o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmar ser “muito importante” a manutenção do veto. O Ibovespa subiu 0,61% e encerrou em 101.467,87 pontos. O dólar subiu 0,4% e encerrou sendo vendido por 5,554 reais. Na máxima do dia, a moeda chegou a ser vendida por 5,66 reais. Com variação semelhante, o dólar turismo encerrou cotado a 5,86 reais.

___

Cofundador do Facebook faz 1º investimento na América Latina

O bilionário Eduardo Saverin, um dos cofundadores do Facebook ao lado de Mark Zuckerberg, está cada vez mais próximo do mercado de startups do Brasil. Nesta quinta-feira o empresário anunciou seu primeiro investimento em uma empresa de tecnologia da América Latina, a Yalochat, fundada no México e com escritórios em diversos países, incluindo o Brasil. A startup acaba de levantar um investimento de 15 milhões de dólares (aproximadamente 83 milhões de reais) em uma rodada de série B liderada pelo fundo de Eduardo Saverin, o B Capital Group. O investimento conta ainda com a participação do fundo de capital de risco americano Sierra Ventures, que já era investidor da Yalochat. Em entrevista exclusiva à EXAME, Eduardo Saverin disse estar animado em investir pela primeira vez em uma empresa que tem ligação ao país onde ele nasceu e afirma que espera poder encontrar outras empresas na região para investir num futuro próximo.

___

Dafiti surfa na pandemia

A Dafiti, com operações no Brasil, Argentina, Chile e Colômbia, viu suas vendas crescerem 27% no segundo trimestre do ano. O volume total de vendas chegou a 867 milhões de reais no trimestre. O número de clientes também aumentou 24,2%, para 6,7 milhões em toda a região. A empresa não divulgou o resultado líquido, o lucro ou o prejuízo do período. Com atuação puramente digital, a varejista de moda não sofreu tanto com o fechamento das lojas por causa da pandemia do novo coronavírus, o que deu a ela uma vantagem nesse trimestre em relação às grandes varejistas de moda.  A C&A chegou a 294,5 milhões de reais em receita líquida no segundo trimestre — 189,2 milhões de reais apenas das operações online — queda de 76,6% em relação ao ano passado. A Renner atingiu 1,5 bilhão de reais em receita líquida no primeiro trimestre do ano. A empresa irá divulgar os resultados do segundo trimestre no dia 31 de agosto.

___

Alibaba ainda mais gigante

O gigante chinês do comércio eletrônico Alibaba anunciou nesta quinta-feira um aumento de 34% nas vendas no primeiro trimestre de seu ano fiscal escalonado, resultado da explosão nas compras pela internet, apesar do impacto econômico do coronavírus. O faturamento do grupo atingiu 21,8 bilhões de dólares (153,8 bilhões de iuanes) no segundo trimestre. "A principal atividade comercial na China (14 bilhões de dólares) voltou totalmente aos níveis pré-epidêmicos em todas as áreas”, afirmou o Alibaba em um comunicado.

___

BRASIL

Bolsonaro: impossível governar com veto do Senado 

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ser “impossível” governar o País se a Câmara mantiver a decisão do Senado que permite o reajuste de salários de servidores durante a pandemia do novo coronavírus. O Ministério da Economia calcula que, se confirmada pelos deputados federais, a derrubada do veto presidencial ao reajuste compromete uma economia fiscal entre 121 bilhões e 132 bilhões de reais. “Ontem, o Senado derrubou um veto que vai dar prejuízo de R$ 120 bilhões para o Brasil. Eu não posso governar um país se esse veto (não) for mantido na Câmara… É impossível governar o Brasil, impossível. É responsabilidade de todo mundo ajudar o Brasil a sair do buraco”, disse Bolsonaro a apoiadores, pela manhã, na saída do Palácio da Alvorada.

___

STF proíbe relatórios do Ministério da Justiça 

Relatora de ação que contesta a elaboração de um dossiê sobre servidores públicos opositores ao governo Bolsonaro, a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou para suspender todo e qualquer ato do Ministério da Justiça de produção ou compartilhamento de informações sobre cidadãos “antifascistas“. O procurador-geral da República, Augusto Aras, por outro lado, defendeu o direito do Executivo de colher informações e disse que “relatório de inteligência não se confunde com investigação criminal”. Pelo entendimento de Cármen, a pasta comandada pelo ministro André Mendonça fica proibida de levantar dados sobre a vida pessoal, escolhas pessoais ou políticas e práticas cívicas exercidas por opositores ao governo. No final desta quinta-feira, o STF seguiu Carmen Lúcia e formou maioria para proibir os relatórios.

___

PT sem candidato em 2022?

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu nesta quinta-feira, 20, que o PT pode não lançar candidato à Presidência em 2022 desde que outro partido de oposição apresente um nome com melhor desempenho nas pesquisas de opinião. A declaração de Lula foi recebida positivamente, mas com cautela por líderes de outras siglas da esquerda. Já no próprio PT a possibilidade de o partido não ter candidato a presidente pela primeira vez desde a redemocratização é vista como improvável. “Acho plenamente possível ter uma eleição em que o PT não tenha candidato a presidente", disse.

___

MUNDO

Mentor de Trump é preso

Procuradores dos Estados Unidos decretaram a prisão do ex-conselheiro do presidente Donald Trump, Steve Bannon. O assessor foi preso na manhã desta quinta-feira. Bannon e outras três pessoas são acusadas de fraude nas doações de uma campanha de arrecadação de fundos online. A campanha era destinada a levantar fundos para a construção de um muro entre o México e os Estados Unidos, uma das principais demandas de parte dos eleitores de Trump nos Estados Unidos. Ao todo, as fraudes teriam chegado a 25 milhões de dólares. Só Bannon teria recebido mais de 1 milhão de dólares. “Eu me sinto muito mal, muito triste”, afirmou Trump ao ser questionado sobre a detenção em breve entrevista na Casa Branca

___

China e EUA concordam em negociar comércio

A China e os Estados Unidos concordaram em realizar negociações comerciais “nos próximos dias” para avaliar o progresso da Fase 1 de seu acordo seis meses após ele entrar em vigor em fevereiro, disse o Ministério do Comércio chinês nesta quinta-feira. O porta-voz do ministério, Gao Feng, fez a declaração em uma entrevista semanal realizada online, mas não deu detalhes. Elas foram feitas após o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, afirmar que nenhuma discussão de alto nível estava marcada, embora ambos os lados estejam em contato sobre a implementação da Fase 1 do acordo comercial.

___

Casos de covid voltam crescer na Alemanha 

A Alemanha registrou nas últimas 24 horas 1.707 novos infectados por coronavírus, o número mais elevado desde abril, de acordo com dados oficiais divulgados nesta quinta-feira. Os dados do instituto epidemiológico RKI, que registra 228.621 casos desde o início da pandemia, confirmam a aceleração dos contágios no país nas últimas semanas. Até o momento, o número de casos adicionais era comparável aos registrados em maio, quando a epidemia começou a retroceder em território alemão. Com 1.707 novos casos, a Alemanha retorna aos níveis do fim de abril, quando estava no pico da pandemia. O recorde de casos diários foi de 6.000 no início de abril.

Imagem da Editoria Exame Invest
Matheus Doliveira

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame