Exame Invest
Mercados

Ação da Suzano sobe 5% mesmo após lucro cair 61% no 4º trimestre

PUBLICADO EM: 13.2.20 | 12H52
ATUALIZAÇÃO: 13.2.20 | 13H08
Redução de estoques e expectativa sobre maior sinergia com operações da Fibria agradam mercado
Plantação e corte de eucaliptos da Suzano de Papel e Celulose

Suzano: empresa reduziu produção de celulose em 12% no quarto trimestre de 2019 em relação ao mesmo período de 2018

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo - O lucro líquido da Suzano, reportado após o pregão desta quarta-feira (12), ficou em 1,175 bilhão de reais no quarto trimestre de 2019 - 61% abaixo do registrado no mesmo período do ano anterior. Mesmo com a queda do faturamento, as ações da companhia de papel e celulose chegaram a subir 5,18% nesta quinta-feira (13). 

Apesar de o lucro ter diminuído na comparação anual, o mercado encarou o balanço como positivo, tendo em vista que a empresa teve prejuízo de 3,460 bilhões de reais no terceiro trimestre. No ano, o resultado líquido da empresa ficou negativo em 2,815 bilhões de reais.

A desvalorização da celulose, pressionada pela guerra comercial que estava em andamento, foi um dos fatores que mais impactaram os ganhos da empresa em 2019. No ano, o preço médio da commodity caiu 29% em relação a 2018. 

Para tentar reduzir a depreciação do produto, a estratégia adotada pela Suzano foi diminuir a produção e impulsionar a desestocagem. No quarto trimestre, a empresa reduziu os estoques de celulose em 650 mil toneladas enquanto a produção caiu 12%. A medida foi agraciada pelo mercado. “O resultado trouxe destaques importantes, como a redução de níveis relevantes de estoque”, afirmou em relatório a equipe de research da Guide Investimentos.

Para a equipe de análise do BTG Pactual, a companhia entregou bons resultados, apesar das “duras condições de mercado”. Confiantes com a capacidade de “controle de danos” de executivos da empresa o banco de investimentos estima que o preço alvo da ação em 12 meses seja de 44 reais - potencial valorização de 10%, considerando o último fechamento. 

Parte dessa expectativa está ancorada nos ganhos de sinergia com a adquirida Fibria. No balanço do quarto trimestre, a Suzano atualizou os ganhos de sinergia da operação de 1,1 bilhão de reais para 1,2 bilhões de reais por ano até 2021. Esse valor, segundo a empresa, viria da redução de despesas e investimentos de capital provenientes das áreas de suprimentos, florestal, industrial, logística, comercial, administrativa e de pessoal.

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame