Exame Invest
Mercados

Ação do Pão de Açúcar embarca em montanha-russa na bolsa

PUBLICADO EM: 29.6.11 | 15H19
Papéis chegaram a subir 12%, mas agora operam em leve queda
Montanha russa do Playcenter

O Pão de Açúcar teve sua recomendação rebaixada de comprar para manter pelo Deutsche Bank

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo – As ações do Pão de Açúcar (PCAR4) embarcaram em uma verdadeira montanha-russa nesta quarta-feira (29). Os papéis, que chegaram a subir 12,1%, aos 82,11 reais, agora operam em leve baixa de 0,87%, negociados a 72,61 reais. Na sessão de ontem, as ações avançaram 12,64%.

O volume financeiro girado pela empresa hoje na bolsa chega a superar o da Vale (VALE5), segundo maior do dia, em 6 vezes. Às 14h40, os 23.660 negócios correspondiam a um giro de 1,21 bilhão de reais.

Papéis chegaram a subir 12,1%

A forte reação do mercado ocorre após a Gama, empresa formada pelo BTG Pactual e pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), ter feito uma proposta de união do Pão de Açúcar com as lojas do Carrefour no Brasil. Parte do mercado avalia que a presença do BNDES na operação ajuda a garantir a concretização do negócio.

Volatilidade

Para a analista Julia Monteiro, da Ativa Corretora, o anúncio pode ser negativo no curto prazo devido às incertezas da aprovação do outro sócio controlador, o grupo Casino, o que pode trazer volatilidade às ações. “Julgamos, entretanto, que no longo prazo a fusão poderá ser positiva, gerando sinergias e criando assim a maior varejista do Brasil”, destaca.

Os acionistas irão receber 0,95% de cada ação ordinária da Gama por preferenciais do Pão de Açúcar (PCAR4). A relação para os papéis ordinários (PCAR3), de baixa liquidez, é de um para um. A razão da troca resulta em um valor de 17,1 bilhões de reais para o Pão de Açúcar, ou o equivalente a 66 reais por ação preferencial.

O Pão de Açúcar teve sua recomendação rebaixada de comprar para manter pela analista do Deutsche Bank, Renata Coutinho. O preço-alvo por cada ação em 12 meses é de 78 reais, segundo relatório obtido pela Bloomberg.

Incertezas

O analista Felipe Miranda, da Empiricus Research, encerrou a recomendação para as ações do Pão de Açúcar. Segundo ele, a forte alta das ações “pareceu levar às cotações a certeza da concretização do negócio”. Miranda explica que a operação ainda reserva sobreposições e materialização do acordo sob os moldes atuais surge como “pouco provável”.

“A questão de o Casino desconhecer a proposta e estar com um processo de arbitragem contra a família Diniz traz riscos à aprovação da fusão. No entanto, ressaltamos que a união do Pão de Açúcar com as operações brasileiras do Carrefour seria positiva, dado as elevadas sinergias que poderiam ser capturadas”, afirma Marcos Mattos, analista da Ágora Corretora.

Reunião

O Casino solicitou ontem a convocação imediata de uma reunião do Conselho de Administração para discutir os termos da proposta. Mais cedo, o grupo francês disse que lamentava profundamente a iniciativa de Abílio Diniz a dar curso a “negociações secretas e ilegais” com o Carrefour.

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame