Ações Hoje: Redecard também pode ganhar com banco Carrefour, diz Barclays | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

Ações Hoje: Redecard também pode ganhar com banco Carrefour, diz Barclays

PUBLICADO EM: 14.4.11 | 18H38
Confira também análises para Trisul, B2W, Localiza, Tecnisa, Santos Brasil e Hypermarcas
EXAME.com

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

São Paulo – Aqui está o que se comenta no mercado hoje:

1 - Redecard também pode ganhar com banco Carrefour, diz Barclays

A Redecard (RDCD3) também poderá ganhar com a entrada do Itaú Unibanco (ITUB4) no banco Carrefour, analisa o banco Barclays. Para o analista Roberto Attuch, o banco poderá aproveitar a oportunidade para realizar um acordo de preferência com a Redecard para os supermercados. O Itaú Unibanco é o controlador da empresa.

Attuch afirma ainda que com o acordo, o banco toma outro passo no caminho de solidificar a sua liderança no crédito ao consumidor, “por meio de uma associação com um importante varejista – um canal para conquistar não-clientes, particularmente em segmentos de baixa renda da população”, explica. O Barclays tem recomendação de alocação acima da média de mercado (overweight), com um preço-alvo de 50 reais.

2 - Trisul: retorno às origens abre caminho para recuperação das ações

O retorno da incorporadora e construtora Trisul (TRIS3) às origens de empreendimentos de média e alta renda pode abrir um cenário mais tranquilo para as ações que em 2011 já caíram 40%, analisa a casa independente de análise Empiricus Research, em relatório. “Já manifestamos apreço pelas ações a esse valuation, de modo que o interesse se concentrava basicamente na condução da mudança se estratégia da companhia, resgatando o tradicional foco na média/alta renda, e na gestão de caixa”, afirma Felipe Miranda, analista que assina o relatório.

Miranda não arrisca dizer o exato momento de inflexão dos números e ainda vê os resultados pressionados no primeiro trimestre, “o que pode implicar demora à recuperação das ações”. A recomendação, portanto, é de que a compra dos papéis seja feita por investidores com perfil de médio e longo prazo e sem restrições de liquidez. Para eles, o analista não titubeia: “Recomendamos compra forte das ações”.

3 - Aumento de capital na B2W reduz valor da Lojas Americanas, diz Ágora

O aumento de capital feito pela Lojas Americanas (LAME4) em sua controlada, a B2W (BTOW3) - dona dos sites Americanas.com, Submarino e Shoptime -, ainda gera “muitas incertezas” no mercado e tem impactado negativamente as perspectivas de crescimento da controladora, afirma em relatório a analista Juliana Vasconcellos da Ágora Corretora.

Mesmo considerando um cenário otimista para os negócios no varejo físico (Lojas Americanas) que, por sua vez, apresenta “um sólido caso de investimento”, as perspectivas para o varejo online (B2W) não são satisfatórias, principalmente em virtude da concorrência no setor. Diante deste cenário, a Ágora optou por reduzir de 20,70 reais para 19,80 reais o preço-alvo para os papéis da Lojas Americanas até o fim do ano, mas manteve a recomendação de compra.

4 - Ação da Localiza está com preço atraente, diz Planner

“Um crescimento expressivo em todas as linhas de resultado”. É desta forma que o analista da corretora Planner, Francisco Kops, define o desempenho da Localiza (RENT3) no primeiro trimestre de 2011.

A locadora de veículos encerrou o período com lucro líquido de 63,6 milhões de reais. O resultado é 30% maior que o do mesmo período do ano passado. Já a receita líquida subiu 23,3%, para 681,5 milhões de reais.

A Planner tem recomendação de compra para as ações ordinárias da Localiza, com preço justo de 34 reais, um potencial de valorização de 30,5% considerado o fechamento do último pregão, quando o papel encerrou cotado a 26,05 reais.

5 - Tecnisa é eficiente, mas ações não estão baratas, diz Votorantim Corretora

As ações da construtora e incorporadora Tecnisa (TCSA3) são atrativas, mas perderam um pouco do brilho e se tornaram caras, principalmente após o mercado já ter precificado o bom cenário esperado para o setor.

A avaliação é dos analistas Marcos Pereira, João Arruda e Daniel Fonseca da Votorantim Corretora, que iniciaram a cobertura dos papéis da companhia. Eles sugerem a compra para as ações ordinárias da empresa, e estabelecem um preço-alvo de 16 reais para abril de 2012.

A corretora lembra que a Tecnisa está entre as principais companhias do setor em relação à eficiência operacional.

6 - Itaú BBA mais otimista com os papéis da Santos Brasil

A grande capacidade de armazenamento do porto de Santos para atender ao crescimento das importações no Brasil deve ajudar as ações da Santos Brasil (STBP11) neste ano, aponta o Itaú BBA em relatório. O banco elevou a recomendação para as units da empresa de desempenho em linha com a média de mercado (market perform) para acima da média (outperform). O preço-alvo foi elevado 36 reais para dezembro de 2011, um potencial de valorização de 40%.

7 - 2011 é o ano das ações da Hypermarcas, diz Planner

A corretora Planner reiniciou a cobertura das ações ordinárias da Hypermarcas (HYPE3) com recomendação de compra. O preço-alvo foi fixado em 25,15 reais para dezembro de 2011, o que representa um potencial de valorização de 21,5%.

O descompasso entre a velocidade com que a Hypermarcas expandiu suas operações e sua estrutura de capital, com as sinergias por elas capturadas, ajudam a entender a queda das principais margens da empresa no ano passado, explica o analista. No período, a margem líquida, por exemplo, recuou de 15,5% para 8,3%.

Kops acredita agora que 2011 deve ser o ano da “colheita” para a Hypermarcas. 


Leia também

Imagem da Editoria Exame Invest
Exame Solutions

Apresentado por


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame