As bolsas da América Latina com melhor desempenho em 2016 | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

As bolsas da América Latina com melhor desempenho em 2016

PUBLICADO EM: 14.12.16 | 10H24
ATUALIZAÇÃO: 14.12.16 | 17H25
Com ganhos de mais de 30% no período, Bovespa aparece apenas no 3° lugar; bolsa brasileira lidera em valor de mercado e em tamanho

Imagem da Editoria Exame Invest
Rita Azevedo



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

São Paulo — O Ibovespa caminha para fechar 2016 com ganhos de mais de 30%, algo que não acontecia há, pelo menos, três anos. O resultado agrada os investidores, mas não é o melhor entre as bolsas da América Latina.

De acordo com levantamento da Economatica, feito a pedido de EXAME.com, quem registra o melhor desempenho no ano é a Bolsa de Valores de Lima (BVL).

Desde janeiro, o principal índice da bolsa peruana acumula ganhos de mais de 57%, puxado pelo aumento do preço das commodities e da melhora de setores como o da construção. Em segundo lugar, aparece a Argentina com ganhos de quase 47%. Veja no gráfico abaixo.

Desempenho das bolsas latinas em 2016

A mais valiosa

Entre todas as bolsas da América Latina, a Bovespa é a que ostenta o maior valor. Se for somado o valor de mercado de todas as empresas que negociaram ações em 2016 no Brasil, a cifra chegará aos 680,9 bilhões de dólares. O montante é praticamente o mesmo da soma do valor das companhias que negociam na bolsa mexicana, chilena e colombiana.

Valor de mercado das bolsas latinas

-

A maior

É no Brasil, também, que há mais empresas negociando ações. Em 2016, 315 companhias tiveram papéis negociados, ao menos uma vez, na bolsa brasileira. Depois, aparece o Chile, com 187 empresas; o México, com 134; o Peru, com 108; a Argentina, com 74 e a Colômbia, com 45. Veja no mapa abaixo.

Empresas negociadas nas bolsas latinas

-



Recomendado para você


Leia também

Imagem da Editoria Exame Invest
Rita Azevedo


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame